Divinópolis: Aparelhos que mantinham Michel Alves Amaral em morte cerebral são desligados e seu óbito é atestado


O servidor público municipal da Prefeitura de Divinópolis que estava em morte cerebral desde o último domingo (26) foi a óbito nesta terça-feira (28), quando foram desligados os aparelhos – O velório ocorrerá neste mesmo dia, após as 21 horas na ACAMOAD, localizada na Rua Frei Leão Rodrigo, no Bairro Antônio Fonseca, e o sepultamento será nesta próxima quarta-feira (29) às 10 horas no Cemitério do Bairro Interlagos – Michel atualmente estava trabalhando na Casa dos Conselhos, anteriormente trabalhou como agente de endemias da Vigilância em Saúde Ambiental, também na Atenção Primária, Regulação, Recursos Humanos e ainda no Conselho Municipal de Saúde (CMS) – Michel era casado com casado com o também servidor público municipal, Gustavo Gontijo Dias, há oito anos.

Pela narrativa enviada pelo namorado de Michel aos amigos, e os comentários nas redes sociais, paira a suspeita de erro médico.  

segundo o seu texto, ela havia acordado com muito dor de cabeça, “Ele tinha uma consulta na parte da tarde, e ficou em casa. Eu fui trabalhar. Quando eu voltei pra casa, ele estava ainda com muita dor, e disse que vomitou”

E seguiu: “No dia 23/12 o Michel teve uma convulsão na parte da manhã. Olhos abertos, ficou rígido, maxilar cerrado, e não respondia. Não entendi que era uma convulsão. Passou muito rápido e ele levantou bem. Falei pra voltarmos ao hospital, mas ele se recusou prontamente, e disse que estava com muito sono, além de estarmos desacreditados com o atendimento do hospital. Então agendei uma consulta com a médica de rotina dele, porque ela sim ia atendê-lo bem”

“Mas as 17 horas ele teve outra convulsão, e chamei o SAMU. Antes do SAMU chegar ele já ficou bem, levantou, ainda tomou um banho. Não queria ir pro hospital, mas arrastei ele mesmo assim”

“Chegando ao hospital foi atendido por outro médico, que pediu todos os exames. Ele fez uma tomografia e no resultado deu que ele teve um AVC hemorrágico grave. Ele teve um sangramento intraparenquimatoso frontal muito extenso. Ele foi pro CTI e seria submetido a cirurgia em até 24 horas”

“No dia 24/12 eu visitei ele na parte da manhã, e ele estava ótimo. Sorrindo, conversando normal, mexendo normal. Não teve nenhuma sequela. A cirurgia ia ser no inicio da tarde”.

“No momento da cirurgia ele teve outro sangramento, e foi encontrado um aneurisma cerebral. Gastou 2 bolsas de sangue, mas conseguiram finalizar bem a cirurgia. Mas o cérebro dele estava muito inchado. Ele foi então sedado para se recuperar”

“Na noite do dia 24/12 ele teve um aumento muito grande de pressão, e não ficou bem.”

“No dia 25/12, hoje as 06 horas, pararam com o sedativo, que já estava com uma dosagem baixa. Desde então ele não apresenta nenhum sinal cerebral”.

 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

2  +    =  4