Anthonio Marra celebra 25 anos de carreira com composição de Caetano Veloso


O cantor e compositor mineiro Anthonio Marra está em festa. Em 2021, mais um ano tão complicado pelos motivos que nós todos conhecemos, ele encontra maneiras para ressignificar e celebrar a música ao completar 25 anos de carreira. O momento de voltar aos palcos ainda está longe do campo de visão, enquanto isso, Marra busca se conectar com sua trajetória, com sua essência e com o público para comemorar por meio de uma série de canções e seus respectivos videoclipes que serão lançados ao longo deste período.

Seguindo a programação de lançamentos comemorativos, o cantor acaba de lançar em videoclipe a sua leitura para “Alguém Cantando”, composição célebre de Caetano Veloso. A canção ganha uma roupagem voz e violão que parte do arranjo original para abrir possibilidades da interpretação da voz de Anthonio e para a harmonia mineira do violão de Renato Saldanha, convidado especial nesta gravação, com produção musical do pianista e arranjador Christiano Caldas.

“Alguém Cantando” inaugura o futuro EP “Canto de Dentro”, projeto que, dentro das celebrações dos 25 anos de carreira de Anthonio Marra, quer evocar o sentimento deste lugar de viver e pensar música, tendo como convidado o violonista Renato Saldanha. “Canto de Dentro” traz em si múltiplos significados: é canto como substantivo do ato de cantar, é canto como um lugar de reflexão, é de dentro porque é onde estamos agora, é de dentro porque nasce da alma e da intimidade entre essa voz de Anthonio e esse violão de Renato.

O clipe foi gravado no Grande Hotel Ronaldo Fraga, em Belo Horizonte, em abril de 2021, seguindo os protocolos de distanciamento e enfrentamento à pandemia da Covid-19. A direção é de Rhodes Madureira, parceiro audiovisual que já acompanha Anthonio há alguns anos.

Sobre os 25 anos de carreira, Anthonio Marra afirma que o sentimento é de gratidão. “Especialmente num momento como o que estamos vivendo, em função da pandemia da Covid-19, poder levar meu canto e minha música às pessoas, dividir com elas esse caminho construído com muito carinho, cuidado, com acertos e erros, é um privilégio e uma missão. Olho para trás para agradecer, mas volto também meu olhar para o futuro, porque tudo que já vivi até hoje é, para mim, motivo para seguir cantando e produzindo. É o que eu sei fazer, é o que me faz feliz. O meu canto é, para mim, a minha forma de ver e contribuir com o mundo que eu acredito que nós merecemos viver”, afirma o cantor.

RELEMBRE

O primeiro lançamento deste ano comemorativo foi “Trem de Prata”, disponível em single em todas as plataformas de streaming e em videoclipe no Youtube.

“Trem de Prata”, composição de Marra em parceria com o violonista/baixista Juliano Nunes, é uma ode ao caminho percorrido pelo artista nestes 25 anos dedicados à música, ao elencar elementos que fizeram parte dessa estrada. “Nesta canção, faço uma viagem pela minha história, relembrando CDs, shows, turnês, músicas encontros, estilos musicais, o diálogo com a cultura mineira… Cada verso da composição evoca momentos da minha história musical e diz sobre algo que realizei”, conta Anthonio Marra.

O arranjo tem como espinha dorsal, como Marra gosta de ressaltar, o violão de Juliano Nunes. “É um violão muito bonito e que traz muito dessa brasilidade e dessa mineiridade que eu enxergo como características do meu trabalho”. A partir daí, a construção da música ganhou camadas com a direção musical e arranjo de Christiano Caldas, pianista e um dos produtores musicais mais requisitados da atualidade. Caldas somou no arranjo o orgânico e o contemporâneo, com pitadas eletrônicas, que fazem jus à história de Anthonio Marra, que vem experimentado essas misturas desde seu disco “Candombe System”. “Tem a referência ao Clube da Esquina, aos tambores e à modernidade”.

O time de músicos envolvidos na canção é um destaque à parte: além do violão de Juliano Nunes e do piano de Christiano Caldas, tocaram também Serginho Silva (percussão e programações), Bruno Vellozo (contrabaixo acústico) e Helton Lima (bateria). Nos vocais, três jovens e talentosas cantoras mineiras, que são nomes a se prestar atenção: Maria Clara Cambraia, Marina Ganem e Nathy Caixeta.

A música “Trem de Prata” ganhou clipe, com direção de Rhodes Madureira. “A linguagem audiovisual também cumpre a ideia de traduzir em imagens referências que passam a limpo minha carreira lá do início até este marco dos 25 anos de estrada”, conta Marra. Assim, a produção conta, por exemplo, com a participação de alguns dos músicos que gravaram a canção, como uma forma de representar todos os artistas com quem Marra já trabalhou. Outra participação de destaque no vídeo é a bailarina Williene Sampaio. “Ela soma, por meio da dança, uma celebração à ancestralidade que eu reverencio”, explica o cantor. Símbolos como o tambor, a coroa, bastão e capa de reinado, além do estandarte de Nossa Senhora do Rosário, assinado pelo artista Marcelo Brant, também fazem essa ponte entre a memória e o presente. Os figurinos, até a maquiagem a cargo da congolesa Benediction, buscam um significado de remontar a história, ao recompor traços usados em outros espetáculos – como por exemplo o visual criado pelo diretor Gabriel Vilela para o espetáculo “Tambores de Minas”, de Milton Nascimento, do qual Marra fez parte, no final dos anos 90.

SOBRE ANTHONIO MARRA

Natural de Divinópolis, Anthonio Marra começou sua trajetória com a música ainda menino. Em sua cidade, fez aulas de violão, pintura, cantava no coral infantil dos Chiquinhos e logo cedo se encantou pelos tambores, ao ver os cortejos de congado passando pela rua de sua casa. Já em Belo Horizonte, fez teatro, dança e canto na escola de Babaya, onde, depois, acabou se tornando professor. Foi escolhido após uma série de audições e testes para integrar o espetáculo “Tambores de Minas”, um dos mais belos projetos de Milton Nascimento, no final dos anos 90. Sua discografia conta com cinco discos: “Anthonio”, “Velho Chico”, “Candombe System”, “Bricabraque” e “Amor, de Toda Forma”.

Já dividiu palcos e projetos com artistas como Milton Nascimento, Elza Soares, Fernando Brant, Marina Machado, Patrícia Ahmaral, Luiza Lara, Baby do Brasil, O Rappa, Maria Gadú, Os Paralamas do Sucesso, Os Detonadas, Luiz Melodia. Entre alguns desses encontros destaca-se a interpretação no espetáculo da premiada trilha sonora do filme “O viajante”, de Túlio Mourão; a Missa dos Quilombos (RJ) de Milton Nascimento, D. Pedro Casaldáliga e Pedro Tierra, e a ópera popular “A fogueira do Divino”, de Tavinho Moura e Fernando Brant, além de suas apresentações em Festivais internacionais em Cuba, Itália e Portugal.

Seu show mais recente, é “Benvirá”, de 2019, apresentado e gravado no Teatro Municipal Usina Gravatá, em sua cidade natal. Também em 2019, Marra representou o Brasil na Itália no Projeto Village / Gen Rosso, que reuniu artistas de 23 países.

É, também, professor de técnica vocal e vocal coach profissional em sua Anthonio Escola de Canto, que forma cantores no Brasil e ainda artistas de outros países na América e Europa, com aulas na modalidade online.

Fonte: empresário do artista

 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PODCAST: escuta essa!!