Estuprador usava aplicativo para contratação de serviços de babás; disse aos policiais “que era educado com as vitimas”


A PCMG prendeu nesta quinta-feira (14), no bairro Jardim Taquaril em Belo Horizonte, um homem de 20 anos, suspeito de praticar vários estupros na capital mineira. Para atrair as vítimas ele usava um aplicativo próprio para contratação de babás. Na coletiva de imprensa a Delegada Isabela Franca explicou como era a dinâmica dos estupros.  Ele chamava um carro também através de aplicativo para que levasse a babá supostamente contratada até o local do trabalho, no trajeto, ele mesmo entrava no carro com a justificativa de ser primo de quem contratou, que era ele mesmo, e dizia que ia para a mesma a casa do imaginário primo. Ao chegar no local que constava no endereço que a babá iria se apresentar ele levava as vítimas para uma mata onde os crimes de estupros aconteciam.

O primeiro estupro ocorreu no dia 13 de dezembro do ano passado. A vítima de 18 anos foi estuprada na região do Taquaril, foi quando começaram as investigações, e no dia 3 de janeiro ocorreu um outro caso, de uma adolescente de 15 anos, com a mesma forma de agir

O jovem estuprador foi preso nessa quinta-feira (14) na casa dele, onde  morava com a companheira e duas filhas pequenas.

“Ele fala que não sabe explicar o motivo pelo qual cometia os, isso vinha na cabeça dele fazer isso. Ele não tinha nenhuma um registro policial”, contou a delegada. E ainda que antes de cometer os abusos sexuais, o homem perguntava se a vítima era virgem. Diante da afirmativa, ele contou aos policiais que era “educado e legal” fazendo “apenas” sexo oral e anal.

O aplicativo de babás funciona como outras plataformas em que quem procura um produto ou serviço se cadastra e quem tem para oferecer também faz a inscrição. Com o cruzamento das informações, as pessoas podem manter contato. No entanto, o uso da funcionalidade requer cuidados.

“Antes de ir para o local é necessário pegar referências, tanto quem vai contratar, como quem vai ser contratado. Pegar detalhes de endereços para não acontecer coisas do tipo”, alertou a policial.

A polícia não descarta que o homem tenha feito outras vítimas. Denúncias podem ser feitas na Delegacia de Mulheres, na avenida Barbacena, 288, no Barro Preto, em Belo Horizonte.

A prisão dele é temporária e, caso seja condenado, pode pegar de 6 a 10 anos de prisão pelo estupro da vítima maior de idade e de 8 a 12 pelo crime contra a adolescente.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PODCAST: escuta essa!!