Câmara tem renovação de 52,94%; 6 veteranos reeleitos, 2 “velhos conhecidos” e 9 novos edis que deixam de ser pedras e viram vidraças


A Câmara Municipal de Divinópolis depois de horas de ansiedade dos candidatos a vereadores em consequência da incompetência de gestão do sistema de apuração do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) neste último domingo (15), finalmente ficou conhecendo quem são os 17 edis que ocuparão suas cadeiras para a próxima legislatura –  52,94% são de nomes novos que entram na política para serem avaliados pelos próximos 4 anos, já com data definida para realizarem a prova final, se de fato conseguiram assimilar as matérias, no dia 6 de outubro de 2024.

O Destaque desta nova safra de vereadores vai para a candidata Lohanna França (Cidadania) que conseguiu a estratosférica votação de 5.462 votos (veja matéria em breve)

O  2º colocado, Eduardo Azevedo, como irmão do deputado Cleitinho Azevedo, e também irmão do prefeito eleito, Gleidson Azevedo, sem nenhuma atuação política e nem militância comunitária, sua expressiva votação de 4.249 foi ancorada no seu sobrenome, Azevedo irmão de um deputado e do prefeito eleito.

O 3º colocado é o veterano Josafá Anderson, que tem como estratégia trabalhar silenciosamente, tanto no campo, em seus redutos eleitorais, fazendo um trabalho de formiguinha catador de votos, e conseguindo obras e benefícios para as suas bases de atuação política, quanto no plenário, principalmente quando existem votações de projetos polêmicos, ele age com uma discrição tão grande que não é percebido.

O 4º mais bem votado foi o vereador Roger Viegas, que ampliou em muito a votação que obteve em 2016, quando eleito pelo PROS, por pouco não ficou de fora. Desta vez no Republicano obteve 2.453 votos. E por almejar a Presidência da Câmara como já explicitou abertamente, protagonizou uma lamentável cena ao ser entrevistado na TV Candidés na noite desta último domingo (16) (veja matéria em breve).

O 5º vereador com maior votação e que vai para o seu segundo mandato, é Ademir Silva, que na janela partidária deixou o PSD e migrou para o MDB de Galileu Machado,  e para ser eleito teve 1.922 votos. Ademir também adota uma estrategia similar a de Josafá Anderson, não é muito dado a aparições e fazer muita cena, não. É discreto. Exceto quando pela ausência do presidente da Câmara, como vice-presidente que é ocupa a titularidade da Mesa Diretora.

Zé Braz, foi eleito pelo PV, o mesmo partido que aglutinou uma série de veteranos para disputar novamente uma cadeira na Câmara. Contudo, o novato Zé, desconhecido pela maioria da população, é conhecido sim na saúde, onde trabalha como servidor público,   se saiu melhor e com 1.871 votos ocupará a 6ª cadeira das 17 disponíveis.

Hilton de Aguiar, é um “novo/velho”, ou melhor, um veterano, já que esteve na Câmara em outra legislatura quando foi eleito por média em 2012, porém, em 2016 não conseguiu e ficou na suplência, como é do mesmo partido do prefeito Galileu que foi eleito em 2016, ele foi ser secretário de Agronegócio. E com isso trabalhou bem cativando os eleitores da zona rural, conseguindo assim obter 1.648 votos, para sentar na cadeira de número 7. Hilton participa de eleições desde 2004.

Outro novato que ocupara a 7ª cadeira disponível é Wesley Jarbas teve o apoio de um conhecido e poderoso empresário do setor confeccionista, que diz avaliar o seu caráter. Ele teve 1.638 votos.

Print Junior (PSDB), também é veterano um veterano, vai para o seu 3 mandato, foi eleito 2012 para o 1º mandato em cima de uma escaramuça que aprontou com os agentes de trânsito da Settrans, que é reforçado anualmente pelo seu “Natal Solidário”. Print no inicio da administração do Prefeito Galileu era oposição, depois virou situação sendo o seu líder de Governo, porém, durante a campanha vendo a rejeição de Galileu, assim como aconteceu com os demais da base, descolou bastante de quem o catapultou realizando várias obras em seu reduto eleitoral e em seus pedidos até mesmo para outros vereadores. Mais recentemente, ainda no partido Solidariedade, partiu para o ataque em cima da agora ex-candidata a prefeita Laíz Soares, por não concordar com as diretrizes do partido em ter candidatura própria, acabou perdendo a legenda e migrou para o PSDB. Ele recebeu 1.617 votos.

Outro veterano na arte de fazer política que foi reeleito para o seu 5º mandato é o vereador Rodrigo de Almeida Vasconcelos Kaboja, que obteve 1.532 votos. Kaboja (PSD) tem o recorde de já ter sido presidente da Câmara por 3 vezes, duas nos mandatos do ex-prefeito Vladimir Azevedo, e uma no de Galileu Machado. Kaboja tem o perfil conciliador entre os vereadores, de provocar a união entre os pares. Somente no último ano, após a posse do suplente Matheus Costa (CDN)  que ocupou a vaga de Cleitinho Azevedo (CDN) quando o mesmo foi eleito deputado estadual, é que o presidente provocado pela animosidade entre os dois, a paz deixou de reinar tanto no plenário quanto no plenarinho. Kaboja tem também muita penetração no meio empresarial e graças aos votos de Ermida que obteve muitas obras durante sua legislatura é que Kaboja foi eleito novamente.

Rodyson Kristinamurti (PV), “Novo/velho” que retorna a Câmara com 1.280 votos, na segunda rodada da apuração que deu o primeiro lugar dentro do partido para Zé Braz, com 1.871 votos. O ambiente na Câmara para a próxima legislatura parece que vai esquentar bastante, já que o edil não é de levar desaforo para casa, além de explosivo é bastante polêmico, veja algumas aqui. Tem até tem um contenda jurídica com o editor do Divinews proveniente do seu último mandato.

Israel da Farmácia, ocupará uma cadeira na Câmara pela primeira vez, tenta ser eleito desde 2004 e por duas vezes chegou a suplência. Esteve no Governo de Galileu Machado até o prazo de desincompatibilização, ao sair, segundo as informações obtidas pelo Divinews, ao invés de se filiar ao MDB, como foi o acordo com o prefeito Galileu,  foi para o PDT  onde foi eleito com 1.373 votos.

Edsom Sousa (CDN), é veterano rumo ao seu quarto mandato, é o filósofo da Casa Legislativa, vira e mexe sai com umas pérolas filosóficas/ antropofológicas, além de ser um pensador frasistas. Também por vários anos, o editor do Divinews e ele foram desafetos, ate que recentemente a paz voltou a reinar entre os dois.

Flavio Marra (Patriota), é novo em cargo eletivo, não na politica, já passou por diversos gabinetes como assessor na Câmara de Divinópolis. Também é polêmico em algumas situações e  com algumas desavenças no currículo. Saindo do âmbito das consecutivas assessorias parlamentares, entre elas para o vereador Josafá Anderson, e os ex-vereadores Edmar Rodrigues e  Sargento Elton.  Flavio teve 1.138 votos nas urnas.

Ney Burger (PSB), é novato conseguiu 1.121, votos

Ana Paula do Quintino (PSC), também é novata em cargo eletivo, porém, tem vivência na política, foi assessora de gabinete do ex-vereador Edmar Felix, a quem ela ajudou a eleger. Participa ativamente de movimentos sociais. Ana teve 957 votos, e pegou a segunda vaga do partido, a primeira ficou com Eduardo Azevedo.

Diego Espino Foods (PSL), novato na politica, teve 866 votos, ocupando a última cadeira disponível na Câmara. Recentemente em consequência da pandemia da Covid-19 esteve envolvido em uma imbróglio com os fiscais da Vigilância Sanitária.

Resumo de votações

Lohanna França (Cidadania) – 5.462 votos – 4,97%

Eduardo Azevedo (PSC) – 4.249 votos – 3,87%

Josafa (Cidadania) – 2.551 votos – 2,32%

Roger Viegas (Republicanos) – 2.453 votos – 2,23%

Ademir (MDB) – 1.922 votos – 1,75% Zé Braz (PV) – 1.871 votos – 1,70%

Hilton de Aguiar (MDB) – 1.648 votos – 1,50%

Wesley Jarbas (Republicanos) – 1.638 votos – 1,49%

Eduardo Print Júnior (PSDB) – 1.617 votos – 1,47%

Kaboja (PSD) – 1.532 votos – 1,39%

Rodyson do Zé Milton (PV) – 1.380 votos – 1,26%

Israel da Farmácia (PDT) – 1.373 votos – 1,25%

Edsom Sousa (Cidadania) – 1.150 votos – 1,05%

Flávio Marra (Patriota) – 1.138 votos – 1,04%

Ney Burguer (PSB) – 1.121 votos – 1,02%

Ana Paula Quintino (PSC) – 957 votos – 0,87%

Diego Espino Foods (PSL) – 866 votos – 0,79%

 

PODCAST: escuta essa!!