Em fim de semana que brasileiros por conta própria definem fim da Covid-19; mortes em Divinópolis chegam a 44; Minas alcança 5.851 e Brasil 127 mil


O fim de semana prolongado de 7 de setembro foi uma verdadeira festa nas praias, pontos turísticos, sítios, enfim tudo que causasse aglomeração, os brasileiros de norte a sul e de leste a oeste procederam como se o país não estivesse atravessando a maior pandemia do mundo com histórico de mortes representadas através da técnica do uso do grafismo, tal qual é uma metodologia usada para se investir na bolsa de valores. Enfim, por conta própria os brasileiros decretaram o fim da pandemia – Até esta última segunda-feira (07), foram registradas 127 mil mortes e mais de 4 milhões de casos confirmados em todo país; Minas Gerais com 5;851 mortes e mais de 236 mil casos confirmado. Seguindo o mesmo ritmo, Divinópolis tem agora 44 mortes, além de mais uma em investigação, mais de 10 mil casos notificados e 1.121 confirmados – As entradas de Divinópolis, desde o final da tarde até a noite, a Avenida Autorama que é o melhor acesso à cidade para quem chega da região de furnas, era a mais cheia, não menos congestionada estavam a Magalhães Pinto e a Avenida JK, 

O município tem ainda 31 pessoas doentes internadas em leitos de Centro de Tratamento Intensivo (C.T.I), além de 43 pessoas em enfermaria.

O nível de isolamento social é bastante baixo, com o percentual de 34%, enquanto o nível de letalidade, ou seja, possibilidade de mortes, está em 3,93, e o ritmo de contágio também altíssimo em 1,36.

Os índices de mortes medidos por cada 100 mil habitantes demonstram que Divinópolis com 44 óbitos tem apresenta o índice de 18,47, enquanto a microrregião de Divinópolis, que é composto pelas cidades de São Sebastião do Oeste, Itapecerica, São Gonçalo do Pará, Carmo do Cajuru, e Claudio, tem 58 mortes, com o índice de 16,52; Minas Gerais com 5.851 mortes mostra 27,64, enquanto o Brasil com 126.640 óbitos, tem o índice de 59,94.

Divinópolis no dia 6 de setembro, véspera do feriado registrou a morte de N.R.S uma idosa de 76 anos, que faleceu no hospital Santa Lúcia. Uma outra morte ocorreu no mesmo dia, desta vez na UPA Padre Roberto, de M.J.G.O, também uma idosa de 82 anos, que deu entrada no hospital no dia 17 de agosto.

Os técnicos de saúde, epidemiologista, afirmam que o resultado da aglomeração que ocorreu em todo país, começará a aparecer a refletir nos leitos e nos gráficos de contagio e mortes, daqui a 15 / 3o dias, ou seja, no final do mês de setembro.

 

EM CONSEQUÊNCIA DO PERÍODO ELEITORAL OS COMENTÁRIOS ESTÃO SUSPENSOS

PODCAST: escuta essa!!