Ex-secretário de Saúde de Divinópolis diz que 55% da população de Divinópolis pode transmitir Covid-19


O ex-secretário de saúde de Divinópolis Vanir Andrade, que esteve no cargo durante a administração do ex-prefeito de Divinópolis, Demetrius Arantes (2005-2008), ao ser instado pelo Divinews a opinar sobre a situação da Covid-19 no município, tendo em vista a subida da curva no gráfico de casos da Covid-19 em Minas Gerais, ao mesmo tempo em que existe um retorno progressivo das atividades econômicas não só na cidade mas em diversas outras no Estado e mesmo do país, avalia que a pressa em flexibilizar as medidas restritivas antes do momento adequado pode trazer maior desarranjo na economia local caso as mesmas tenham que ser readotadas. E ainda que neste momento é um contra-senso, pois de acordo com o indicador Re (número efetivo de reprodução) 55% da população, tendo como base o Estado em que Divinópolis repete seu histórico, pode transmitir Covid-19    

Explicou ele:

Como ex-secretário de saúde fui instado a opinar sobre a situação atual da Covid-19 em Divinópolis tendo em vista o avanço da doença e o retorno progressivo de atividades no município.

Entendo que um fenômeno epidemiológico como este, que tem atingido o mundo inteiro causando centenas de milhares de morte só poderá ser amenizado se seguirmos as orientações das autoridades sanitárias competentes quanto à necessidade do cumprimento do isolamento social, do uso de máscaras, do home office (quando possível), etc.

Mesmo sabendo que o cumprimento dessas medidas restritivas pode acarretar outros problemas para considerável parcela da população, principalmente os de ordem econômica/financeira, gostaria de destacar, entre outros, três dados técnicos relativos à pandemia no nosso município que indicam ser inoportuna a flexibilização, ainda que gradual, neste momento, das medidas restritivas até então impostas.

  1. Existe um indicador em epidemiologia, denominado Re (número efetivo de reprodução) que informa o número médio de contágios causados por cada pessoa infectada, ou seja, quanto maior Re maior o número médio de contágios. Esse número leva em consideração as mudanças no nosso comportamento frente à doença como por exemplo, a quarentena.

Nos estados brasileiros e DF este número está entre 1,13 (Pernambuco) e 1,56 (Ceará). Minas Gerais, estado que até então, felizmente, pode ser considerado um ponto “fora da curva” esse indicador está em 1,37.

Se adotarmos o mesmo Re para Divinópolis significa dizer que cerca de 55% da população do município pode transmitir o vírus.

  1. Nos últimos 7 dias ocorreram 46 novos casos havendo um aumento de 156% de novos casos entre relação ao mesmo período anterior.
  2. Há escassez de leitos UTI uma vez que Divinópolis conta com apenas 40 leitos para atender, também, outros sete municípios próximos. A taxa média de ocupação nos últimos 7 dias foi de 52%.

Finalizando, não tenho dúvida que a pressa em flexibilizar as medidas restritivas, antes do momento adequado, poderá trazer maior desarranjo na economia local caso as mesmas tenham que ser readotadas.

6 comentários em “Ex-secretário de Saúde de Divinópolis diz que 55% da população de Divinópolis pode transmitir Covid-19

  • 6 de junho de 2020 em 13:04
    Permalink

    Excelente secretário da saúde, gestão técnica, profissional, seriedade, responsabilidade. Parabéns pelo artigo , pela coragem e lucidez na leitura dos dados, algo importante especialmente neste difícil período que vivemos

    Resposta
  • 4 de junho de 2020 em 21:36
    Permalink

    Situação muito difícil que vivemos.
    Creio que a flexibilização deve ser permitida até certo ponto para o giro de capital e sobrevivência da população.
    No entanto, com o rumo que a cidade toma, o que veremos em breve será a permissão para o funcionamento de todos os serviços de forma plena, essenciais e não essenciais.
    Creio que com isso colocaremos em risco toda a população, já que o pico da doença por aqui, diferente da maioria dos outros grandes centros do nosso país, será em uma data futura e imprevisível.

    Resposta
  • 4 de junho de 2020 em 17:37
    Permalink

    Excelente matéria.
    No I x secretário Vanir Andrade fala com propriedades, entende muito de saúde pública e provou na sua gestão que não precisa ser médico para cuidar da saúde pública.
    Estamos em um momento aonde a curva está atingindo próximo do pico.
    O melhor a fazermos eh termos responsabilidades conosco e ao próximo.
    Fique em casa e usemos máscara e lavar sempre as mãos.
    Para o Vanir eu tiro meu chapéu.

    Resposta
    • 4 de junho de 2020 em 18:45
      Permalink

      Boa noite à TODOS: Com Todo Respeito ao Ex_Secretario da Saúde_ Vanir Andrade. Quando no Título da Matéria, tú dizes: 55% da População PODE: Significa DÚVIDA? Decorridos mais de 70 dias de Quarentena, TAMBÉM vou OPINAR: Nós Divinópolitanos, Estamos Ferrados, Aqui só Aparecem Pessoas NEGATIVAS para Opinarem??? Recomendo o PULO do GATO. Quando aparecer os Sintomas do Vírus, Não Fique de Bobeira em Casa. Utilize Ivermectina 6ml, Dipirona 500ml e Azitromicina de 500ml. Se os SINTOMAS não Desaparecer em 2 Dias, PROCURAR um Médico Particular, Se Possível um Infectologista. Um abraço,!!🙄😣🙄🤔🙄🤔🙄.

      Resposta
      • 5 de junho de 2020 em 10:37
        Permalink

        Matéria exemplar! Infelizmente muitos acham que fazer de conta que está passando, que ficarão ilesos, irá lhes dar imunidade. É uma loucura e totalmente inoportuna a flexibilização das medidas restritivas agora que a curva de contágio continua subindo. Tivemos exemplo no mundo inteiro que a única chance de diminuir o número de mortos é quarentena, distanciamento social e cuidados higiênicos. Vamos nos proteger e proteger os que amamos, recomeçar sempre é possível qdo se está VIVO. Não se trata de negativismo e sim de cair na real. A morte é definitiva, tudo para e não tem volta. FIQUEM EM CASA 🙏❤️

        Resposta
  • 4 de junho de 2020 em 17:31
    Permalink

    Perspectiva pertinente e fundamentada. Com efeito, “a pressa é inimiga da perfeição” e, ao mais parecer, temo que seja exatamente o que estejamos a ver: a inobservância ao velho e sábio brocardo popular.

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PODCAST: escuta essa!!