Médica vítima do coronavírus em Divinópolis usou hidroxicloroquina e não funcionou; cunhada reforça importância do isolamento social


O remédio tão propalado pelo presidente Jair Bolsonaro, a cloroquina, segundo relato da cunhada da médica Ana Claudia, que morreu na última quarta-feira (08) em consequência da Covid-19, não funcionou – Em Nota, após agradecer o apoio dos amigos, e dizer que sua morte pode servir como exemplo e salvar vidas. Angélica, fez um alerta de que Ana Claudia teve acesso não só a cloroquina, mas outros tipos de tratamento e nada funcionou. “Protejam-se, cuidem dos seus e trabalhem para que não sejam arrefecidos os esforços do isolamento social, até que tenhamos uma solução de fato”. – Veja reprodução do seu post em rede social

Caros amigos,

Neste momento de dor infinita, de uma partida devastadora e sem despedida, o carinho de cada um de vocês é alento.

Ana fica, está e é tudo o que participou e construiu. Médica extraordinária, mãe zelosa, mulher admirável.

Como médica, desenvolve novamente sua missão, seu exemplo podendo salvar vidas. Ana tinha 46 anos, sem comorbidades e era uma atleta disciplinada. Teve acesso a cloroquina precoce, antiviral, anticorpo monoclonal anti-interleucina e um CTI vazio que se dedicou plenamente a ela. Nada funciona, até hoje, em alguns pacientes. Protejam-se, cuidem dos seus e trabalhem para que não sejam arrefecidos os esforços de isolamento, até que tenhamos uma solução de fato.

Em nome da nossa família, entrego nosso agradecimento sincero pelo apoio e abraço terno.

Angélica

EM CONSEQUÊNCIA DO PERÍODO ELEITORAL OS COMENTÁRIOS ESTÃO SUSPENSOS

PODCAST: escuta essa!!