COMPORTAMENTO: Jogos online, novos hábitos dos brasileiros


Com o passar dos anos também mudam as tendências em vários setores e no Brasil não é diferente. O famoso país do futebol já conta com diversos outros passatempos, além da maior paixão nacional, e os board games, o poker online e o streaming também conquistaram os brasileiros na última década.  Em tempo de coronavirus, saiba um pouco mais sobre esses novos e eletrizantes passatempo.

Board games: milhares de opções disponíveis

Um dos novos hábitos que tem crescido entre os brasileiros é a reunião para jogar board games, que também são conhecidos em território nacional apenas como “jogos de tabuleiro”. Apesar disso, os jogos disputados hoje em dia não são os clássicos antigos, mas sim novas criações repletas de mudanças e mecânicas interessantes.

“Os jogos modernos são mais fáceis de jogar. Têm partidas curtas, não longas como as de ‘War’ e ‘Monopoly’”, revelou Cristiano Cuty, diretor de criação e produção da Conclave Games, uma das principais editoras nacionais de jogos do país em uma entrevista para a Forbes.

Segundo dados fornecidos pelo site norte-americano BoardGameGeek, apenas em 2018 foram lançados mais de 4.000 novos jogos. O número elevado de produção e a necessidade de tradução e licenciamento fazem com que exista espaço para diversas outras empresas nacionais no ramo, com destaque para companhias como Bucaneiros, Conclave, Galápagos, Meeple BR e a própria Conclave Games.

Fundada em 2003 para a publicação de livros de ficção e módulos de RPG, a editora passou a licenciar board games em 2014 e, de acordo com Cuty, eles logo passaram a representar cerca de 85% de toda a produção da companhia, que hoje fatura mais de um milhão por ano.

Importado dos Estados Unidos, Munchkin é um dos jogos mais vendidos do mundo e um dos mais populares no mercado nacional.

Alguns dos principais jogos do novo mercado nacional são Dixit, Munchkin, Ticket to Ride e Teotihuacan. Os nomes podem parecer estranhos para quem está fora do meio, mas para facilitar o aprendizado desses novos jogos surgiram casas por todo o país que contém com grandes acervos e equipes especializadas em ensinar a jogar. Além disso, é possível encontrar ótimos tutoriais no YouTube e em outras plataformas na internet.

Em 2019, segundo dados divulgados pela Forbes, cerca de 28% da população do Brasil afirmou que joga pelo menos um board game, com o segmento sendo responsável por quase 10% das vendas do bilionário setor de brinquedos nacional. A previsão de crescimento é de 7,5% ao ano e os jogos de tabuleiro devem conquistar cada vez mais pessoas nos próximos anos.

Poker: crescimento explosivo com milhões de entusiastas

Outra tendência que não para de crescer é o  poker online. Fácil de aprender e disponível em qualquer dispositivo móvel, a modalidade esportiva disputada através da internet já conta com milhões de adeptos e os números só aumentam.

A versão online ganhou popularidade por aqui, assim como em outros países, com o “efeito Moneymaker”. É assim que é chamada a inspiradora história do competidor Chris Moneymaker que em 2003 conquistou mais de um milhão de dólares na World Series of Poker (WSOP) após ganhar a inscrição em uma competição online e inspirou inúmeros entusiastas a disputar partidas.

Segundo dados da Statista, empresa alemã especializada em dados que acompanha o desenvolvimento do setor, o número de entusiastas brasileiros passou de cerca de 100 mil na segunda metade dos anos 2000 para mais de 4 milhões em 2018.

“No Brasil, os jogos online são ainda maiores do que os torneios disputados fisicamente”, afirmou Vivian Saliba, uma das maiores competidoras do país em declarações para a imprensa. “Isso é a realidade, mesmo tendo grandes torneios como o BSOP (Brazilian Series of Poker)”, completou a atleta.

O BSOP é a maior série de competições do poker nacional e reúne centenas de competidores em cada um dos seus eventos, mas os números ficam pequenos quando comparados aos de torneios online, cujos torneios e partidas não possuem fronteiras e conseguem reunir milhares de competidores de diversas nacionalidades todos os dias.

Modalidade amplamente considerada esporte mental desde 2009, os brasileiros já são considerados uma das principais potências no poker e até mesmo competidores nacionais amadores já conquistaram grandes prêmios de renome internacional.

O exemplo mais famoso é o craque Dentinho. Jogador profissional de futebol, ele dedica as horas vagas ao poker e já conquistou diversos prêmios com o nick “mlk017”.

Por exemplo, apenas os torneios Mini Super Tuesday US$ 22 [Early Edition] e Hot $109 (US$ 35.000 Guaranteed) renderam ao entusiasta, respectivamente, R$ 13.200 e R$ 30.000.

Com facilidade de acesso, bons exemplos de craques profissionais e amadores e a possibilidade de disputar partidas com pessoas de todo mundo, não é surpresa que o poker online tenha conquistado tantos adeptos e não pare de crescer.

Streaming: filmes e séries a qualquer hora do dia

É impossível mencionar novos hábitos e tendências dos brasileiros sem mencionar o streaming. Segundo uma pesquisa do Video Viewers, cujos dados foram compilados pela Gazeta do Povo, somente nos últimos cinco anos o consumo desse tipo de serviço cresceu  mais de 165% no Brasil, sendo que a TV cresceu apenas 24% durante o mesmo período.

Os dados da mesma pesquisa revelam que 9% dos brasileiros simplesmente pararam de acompanhar a programação da TV, enquanto 80% deles assistem serviços de streaming para acessar conteúdos que não estão disponíveis na televisão.

“O crescimento do streaming no Brasil é bom porque permite que as pessoas escolham conteúdo que nunca tiveram antes. Não é uma competição de mercado, é uma nova opção”, afirmou Margie Moreno, chefe do Youtube Originals, divisão responsável pela produção de conteúdo original da plataforma na América Latina.

A principal força do streaming é a enorme oferta de novas opções e existem diversas plataformas disponíveis no Brasil. Os destaques são a Netflix, Prime Video, Twitch, Crunchyroll e o já mencionada YouTube – pioneiro no setor, queira ou não.

Além delas, as principais editoras de televisão também já identificaram o grande potencial do streaming no Brasil e passaram a oferecer seu conteúdo através de plataformas online.

Por exemplo, a ESPN, uma das maiores redes esportivas por aqui, passou a oferecer o WatchESPN há alguns anos para que os usuários assistam jogos e acompanhem a programação de seu pacote, enquanto a gigante Globo lançou o Globoplay, que conta até mesmo com conteúdo original e exclusivo.

Com a chegada da Disney+ (prevista para 2020) e cada vez mais emissoras passando a oferecer serviços de streaming, tudo indica que essa tendência só tende a crescer no futuro.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PODCAST: escuta essa!!