Ambulantes começam a desocupar Camelódromo de Divinópolis


Embora o prazo de desocupação do Camelódromo estipulado em um acordo vença neste próximo domingo (12), os ambulantes no início da tarde deste sábado (11) começaram a retirar suas mercadorias do local. De acordo com informações apuradas pelo Divinews, alguns estão levando as mercadorias para suas residências até que o novo local, que está quase pronto, faltando apenas colocar as divisórias entre os boxes e a infraestrutura de banheiros e iluminação, enquanto outros provisoriamente estão transferindo a mercadoria para o segundo piso do shopping popular Pop´s que o proprietário teria colocado à disposição deles – Ainda de acordo com o Procurador Geral do município, Wendel Santos, as razões apresentadas por um advogado através de dois vídeo que estão circulando na internet dizendo que não é para os ambulantes deixarem o local, por existir uma ação judicial tramitando na Justiça, a argumentação não procedem. Pois, segundo o procurador, a AÇÃO a que o operador de direito se refere, foi remetida para o Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), pelo Juiz Núbio de Oliveira Parreiras, quando o advogado alegou a suspeição do magistrado. Dizendo que o mesmo tinha interesse na causa, chegando a pedir o seu afastamento. Por isso, os autos foram remetidos ao TJMG. “Juridicamente está tudo dentro da lei para a desocupação no dia 12”, afirmou o procurador.

O prefeito Galileu Machado em entrevista para o Divinews, afirmou que a questão não está mais na seara do Executivo e sim com o Judiciário, que já determinou a saída dos ambulantes daquele local. Reforçou que deste 2012 o Camelódromo está ilegal.

“O os boxes pertencem a Prefeitura, desde 2012 já deveria ter sido retirado. A mobilidade urbana faz com que a Prefeitura seja obrigada a desocupar o local. Foi discutido o assunto várias vezes com o pessoal representante dos ambulantes. Mas chegou a um ponto que a associação entrou com um mandado de segurança contra a prefeitura, mas eles perderam na primeira e na segunda instância. Eles pediram para passar o Natal e nós concedemos até o dia 27, logo a seguir eles pediram até o dia 13. O acordo foi homologado na Justiça entre a Prefeitura e a Associação dos Camelódromos. Tudo de acordo para que a operação seja feita no dia 13 (segunda-feira), e eles devem retirar todo material até o dia 12 (domingo)”, finalizou o prefeito, dizendo que a decisão “é irreversível, não tem retorno. Estamos cobertos pela Justiça, já não é mais problema meu, pois foi um acordo sacramentado pela Justiça”.

O prefeito concluiu afirmando que os ambulantes vão para um espaço muito melhor, onde tem tudo, como banheiro, que no local atual eles não tem. “Com todo conforto. Muito melhor que ali, tenho certeza que eles vão ficar satisfeito depois que eles forem para lá”.

ATUALIZAÇÃO: A movimentação continua intensa na manhã deste domingo 12) com a continuidade da retirada das mercadorias.

Imagens do novo local

 

5 comentários em “Ambulantes começam a desocupar Camelódromo de Divinópolis

  • 12 de janeiro de 2020 em 12:59
    Permalink

    Enfim algum prefeito teve a coragem de tirar aquele Frakstein do Centro da Cidade, espaco usado indevidamente desde 2012. Fica a pergunta: se os camelos (muitos com bons veiculos e alguns deles ate importados) podem usar o espaço no centro da cidade sem pagar aluguel por que outros lojistas tambem nao teriam os mesmos direitos????

    Resposta
  • 12 de janeiro de 2020 em 12:39
    Permalink

    O espaço publico não tem dono o que aconteceu neste caso e um erro absurdo que começou ilegalmente desde a década de 80 onde os ditos vendedores ambulantes tornaram conta de pontos na Av 1 de junho e Goiás e depois de 20 anos se acharam no direito de adquirir usucapião de um espaço que não tem direito e os prefeitos foram complacentes com a situação.o correto e se quer ter comercio que alugue um espaço em um shopping popular e que pague os custos como qualquer lojista faz
    E se alguém pensa diferente disso que tente explicar com argumentos validos a qualquer cidadão americano ou europeu se e possível virar dono de espaço publico e ainda exigir pra onde a prefeitura vai nos levar

    Resposta
  • 11 de janeiro de 2020 em 20:59
    Permalink

    Parabéns ao advogado Robervan Faria por defender bravamente os vendedores ambulantes. Assisti os vídeos e o advogado está coberto de razão, pois se os camelôs ganharem a ação anulando o acordo vão processar futuramente a prefeitura.

    Resposta
  • 11 de janeiro de 2020 em 19:55
    Permalink

    O prefeito deveria ao invés de tirar ele.s de lá porque muitos trabalham honestamente.deveria era preocupar com os bairros sem infraestrutura como o meu terra azul.la só ruas cheias de buracos esgoto a céu aberto. Tem até um morador de lá que tem um documento que consta em Brasília que o bairro é todo asfaltado

    Resposta
    • 12 de janeiro de 2020 em 08:43
      Permalink

      O problena do Divinews é que ouve apenas a prefeitura. Tem que ouvir o advogado dos camelôs também. Nesse angu tem caroço. Afastamento do Juiz? Acorda Geraldo.

      Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

61  +    =  67