Bolsonaro diz que jornalistas são raça em extinção e vai vinculá-los ao Ibama


O Presidente Jair Bolsonaro, que pensa ter nas redes sociais o “amparo” do seu governo, e abomina a mídia tradicional, principalmente se não for sua aliada. Nesta segunda-feira (06), mais uma vez disparou novos ataques a imprensa. Desta vez afirmou que os jornalistas brasileiros são uma raça em extinção, afirmando: “Eu acho que vou botar os jornalistas do Brasil vinculado ao Ibama. Vocês são uma raça em extinção”, afirmou  

“Quem não lê jornal não está informado. E quem lê está desinformado. Tem de mudar isso. Vocês são uma espécie em extinção. Eu acho que vou botar os jornalistas do Brasil vinculados ao Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente). Vocês são uma raça em extinção”, disse o presidente, que faz escola em todo país, e até mesmo em Divinópolis, onde um certo vereador que lê na mesma cartilha de Bolsonaro, só admite a imprensa que fala bem dele, que o elogia. Se falar o que deve ser noticiado, ele surta e parte pra cima de qualquer um, mesmo que seja mulher, que ele xinga de feia, de incompetente, põe o dedo na cara. Enfim, são da mesma escola.

Em mais um ataque à imprensa, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (6) que os jornalistas brasileiros são uma “raça em extinção” e acusou o jornal Folha de S.Paulo de escrever mentira.

Na entrada do Palácio do Alvorada, onde cumprimentou um grupo de eleitores, ele disse que cada vez menos pessoas confiam na imprensa e que a leitura diária de jornais envenena e desinforma.

— Quem não lê jornal não está informado. E quem lê está desinformado. Tem de mudar isso. Vocês são uma espécie em extinção. Eu acho que vou botar os jornalistas do Brasil vinculados ao Ibama [Instituto Brasileiro do Meio Ambiente]. Vocês são uma raça em extinção

Em mais um ataque à imprensa, o presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (6) que os jornalistas brasileiros são uma “raça em extinção” e acusou o jornal Folha de S.Paulo de escrever mentira.

Na entrada do Palácio do Alvorada, onde cumprimentou um grupo de eleitores, ele disse que cada vez menos pessoas confiam na imprensa e que a leitura diária de jornais envenena e desinforma.

— Quem não lê jornal não está informado. E quem lê está desinformado. Tem de mudar isso. Vocês são uma espécie em extinção. Eu acho que vou botar os jornalistas do Brasil vinculados ao Ibama [Instituto Brasileiro do Meio Ambiente]. Vocês são uma raça em extinção

— Porque envenena a gente ler jornal. Chega envenenado. Hoje, a Folha fez um comunicado, apelando ali para assinar, que a Folha sabe exatamente do corte entre a mentira e a verdade. Verdade, sabe exatamente o corte, só que usa a mentira. Essa é a imprensa brasileira, que eu não quero isso para a imprensa — disse.

O presidente ressaltou que, para este ano, cancelou as assinaturas impressas de jornais e revistas no Palácio do Planalto. Ele, no entanto, manteve as digitais e, após ser criticado, recuou da exclusão da Folha de S.Paulo de concorrência pública.

— É importante a informação, não a desinformação ou o fake news. Por exemplo, eu cancelei todos os jornais do Palácio do Planalto. Todos, todos, não recebo mais papel de jornal ou revista. Quem quiser que vai comprar — disse.

Ao todo, eram assinados em formato impresso sete jornais e oito revistas. Por dia, eram entregues, em média, 25 exemplares. O custo anual das assinaturas impressas era de cerca de R$ 580 mil. Com a Folha de S.Paulo, entre janeiro e outubro, o Palácio do Planalto desembolsou R$ 27.659.

 

 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

1  +  9  =