Servidores públicos municipais de Divinópolis não abrem mão de pagamento integral dos salários, e podem ir à greve


Segundo informações da Assessoria de Comunicação do sindicato da categoria dos servidores públicos municipais, que realizou nesta última quinta-feira (31), uma assembleia com o objetivo de discutir o anúncio da Prefeitura da possibilidade de parcelamento dos seus salários. A classe discutiu várias ações e deliberou que quer o salário integral para todos os trabalhadores municipais. E caso o governo não cumpra com a obrigação até o quinto dia útil deste mês, uma nova assembleia será convocada para que novas decisões sejam tomadas.

A assembleia foi aberta pelo vice-presidente do Sintram, Wellington Silva. O líder sindical explicou aos presentes que a administração avisou à diretoria sobre a possibilidade de parcelamento ao final do expediente do dia 21/10.  No dia seguinte, o sindicato esteve na Prefeitura cobrando respostas da Secretária de Fazenda, Suzana Xavier, ou seja, um cronograma de pagamento a ser apresentado para deliberação da classe.

No encontro, a secretária foi taxativa ao dizer que não poderia estabelecer um cronograma e nem valores, já que ela depende da efetivação de repasses estaduais e federais para dar essa previsão.  “Mais uma vez cobramos a redução de gastos, corte dos cargos comissionados, mas sempre o discurso é o mesmo que esse gasto com comissionados é pequeno diante das contas da administração.

O que é imoral e um desrespeito com nossa categoria e à população. Se a Prefeitura está com falta de recursos, toda redução de custos deve ser feita para evitar o atraso aos servidores e os fornecedores da administração”, apontaram os representantes do sindicato na assembleia.

OFÍCIO

O vice-presidente leu o ofício enviado ao sindicato no dia 23/10, um dia após a reunião na Prefeitura, e logo em seguida abriu a palavra para a assembleia. No ofício, a secretária alega que para a quitação da folha de outubro/2019 ainda faltam recursos para o pagamento em sua totalidade. “Até o quinto dia útil ainda receberemos parcelas de FPM e ICMS, não sendo possível avaliar o fluxo de caixa final. É nosso compromisso que valores sejam repassados aos servidores no quinto dia útil, mas ainda não temos condições de avaliar o quantitativo”, declarou a secretária.

SALÁRIO INTEGRAL

A assembleia contou com a presença de lideranças importantes que utilizaram a fala para mostrar a indignação com a possibilidade de novo parcelamento e sugeriram ações para mobilização, união da categoria e denúncia à população. Entre as principais ações ficou acertado que a categoria irá aguardar o salário integral para todos até o quinto dia útil, caso  a administração não cumpra essa obrigação  o Sintram convocará nova assembleia para discutir outros encaminhamentos, inclusive de protestos e paralisações, já que a situação é recorrente e a administração não toma nenhuma atitude para preservar o salário em dia dos trabalhadores ao longo do ano.

DECRETO

Sobre a suspensão das gratificações para os profissionais da atenção primária que também foi ponto de pauta da assembleia, o vice-presidente, Wellington Silva, disse que o sindicato irá agendar reunião com o Secretário de Saúde, Amarildo Sousa,  para discutir a questão. “O decreto que permitia as gratificações para aos profissionais da atenção primária  foi revogado sem nenhum aviso à categoria. Nossos trabalhadores confiaram na palavra da administração e mais uma vez são desrespeitados e ignorados em seus pleitos. Vamos buscar o diálogo para negociar uma saída que seja amigável.  O esvaziamento da UPA já tivemos informação é que a gestão da Unidade está direcionados os pacientes aos postos de saúde, então nada mais justo do que reconhecer o trabalho  dos nossos profissionais da saúde que são essenciais no atendimento à população”, disse o vice-presidente, Wellington Silva.

PARCELAMENTOS

Na assembleia também foi sugerido ação do funcionalismo para barrar nova tentativa de parcelamento das contribuições devidas ao Diviprev. Foi deliberado que uma enquete/pesquisa, identificando os votantes,  deverá ser inserida no site do sindicato, para consulta à categoria de modo que o servidor opine se é a favor ou  contra  novo pedido de parcelamento do Diviprev. “Sempre que falam que haverá parcelamentos de salários, logo o governo manda um novo pedido de parcelamento para o Diviprev utilizando o pagamento da folha como moeda de troca  para aprovação de novo parcelamento pelos conselheiros. Não podemos permitir isso, temos parcelamentos vigentes no instituto até 2024”, alertou Darly Salvador, conselheiro  e presidente do Conselho Administrativo, o qual destacou que o atual déficit atuarial do instituto  está em mais de R$1 bilhão.

Essa pesquisa será encaminhada aos representantes dos servidores ao Diviprev, caso a administração encaminhe novo pedido de parcelamento ao instituto.

DENÚNCIA

Ficou acertado também que a categoria irá mostrar sua indignação em pontos estratégicos da cidade, através de faixas, para que a população tenha conhecimento da falta de planejamento da administração municipal, que todo ano vem penalizando os servidores. “Foi uma assembleia com importantes lideranças de setores diversos da administração e ficou clara a indignação dos  presentes diante dessa situação que todo final de ano é a mesma coisa, sem nenhuma ação efetiva da Prefeitura no sentido de enxugamento da máquina e preservação de nossos salários. A categoria deixou claro que quer o salário para todos de modo integral no quinto dia útil. Estaremos prontos a convocar novamente os trabalhadores, lembrando que precisamos da união e participação de todos, pois a força do Sintram se faz com a presença do servidor. É o servidor que move a cidade e sempre somos nós que temos que ter salários atrasados e nosso instituto penalizado. Os gestores passam, mas, nós, servidores, ficamos e para mudar essa realidade somente com a união de todos nós”, finalizou Wellington.

2 comentários em “Servidores públicos municipais de Divinópolis não abrem mão de pagamento integral dos salários, e podem ir à greve

  • 2 de novembro de 2019 em 17:55
    Permalink

    Só mandar todos comissionados embora e cortar as gratificações que sobra dinheiro. Tem que ter mais responsabilidade com recurso público.

    Resposta
    • 4 de novembro de 2019 em 08:32
      Permalink

      que voces tem contra comissionado

      Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PODCAST: escuta essa!!