Juiz nega interrogatório dos ex-proprietários da RBH em Divinópolis, por videoconferência, a partir de Itajaí em Santa Catarina


A defesa dos ex-proprietários da Construtora RBH, Péricles Hazana Marques Junior, Sandra Mara Oliveira e Rafael Marques, que em 2018 deu um golpe no mercado de imóveis, ao vender várias unidades residenciais em três edifícios, Paris, Londres e Lisboa, além de não entregar, fugiram para a cidade de Itajaí em Santa Catarina, sendo posteriormente presos, enviados ao presidio Floramar, porém logo soltos no terceiro pedido de habeas corpus, em novembro, no julgamento que está tramitando em Divinópolis, solicitou que os três réus fossem ouvidos por videoconferência, já que os três voltaram para Itajaí e lá fixaram residência  – O Juiz, Christiano de Oliveira Cesarino, baseado no art. 185, § 2º do Código de Processo Penal que dispõe que a oitiva através de vídeo conferencia, só pode ser realizado em caráter excepcional para réu que está preso, que não se aplica ao caso, já que os três estão soltos em Itajaí. O Juiz segue dizendo também não dispõe de meios técnicos para o interrogatório por videoconferência. “Por fim, é importante salientar que a concessão da Liberdade Provisória aos acusados impôs o compromisso de comparecer a todos os atos do processo”, decidiu o Juiz, no pedido da defesa – Eles serão ouvidos em Divinópolis no dia 5 de novembro.

2 comentários em “Juiz nega interrogatório dos ex-proprietários da RBH em Divinópolis, por videoconferência, a partir de Itajaí em Santa Catarina

  • 23 de outubro de 2019 em 13:28
    Permalink

    esses nao foram espertos igual o DEUSDETI E A CAMILA DA ADIMOVEIS QUE DERAM O GOLPE E NEM NA POLICIA FOI CHAMADOS

    Resposta
  • 22 de outubro de 2019 em 13:26
    Permalink

    Esperamos ansiosamente pelos marginais foragidos !

    Iremos receber muito bem vcs , venham tranquilos.. só não vale chorar e dizer que são inocentes.

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PODCAST: escuta essa!!