Tensão na Câmara de Divinópolis com as presenças de pais, alunos e professores


Por: Vitor Correia / Yasmin Oliveira

 

Na tarde desta última quinta-feira (8), na Câmara Municipal de Divinópolis, o assunto girou em torno da educação. Mais um 5º dia útil e o atraso no pagamento dos servidores públicos é recorrente, a greve nas escolas que antes era uma especulação, começa amanhã. Muitas mães, professores e alguns alunos do 9° ano do ensino fundamental, foram a casa buscar soluções para que a paralisação não ocorra e assim, não prejudique milhares de alunos do município.

Uma multidão de cartazes foi levantada cobrando medidas rápidas e efetivas, tanto referente ao salário dos professores, como o assunto que vem perdurando na casa, o fechamento dos CEMEI. O prefeito Galileu Teixeira Machado, foi o principal alvo. Frases como: “Cadê o direito das nossas crianças? Paga Galileu.”; “Mães revoltadas com o fechamento dos CEMEI, agora juntos apoiando os professores”.

A vereadora Janete Aparecida, em seu discurso na Tribuna Livre, apresentou denúncia de uma servidora pública, que ao verificar o extrato de sua conta e o demonstrativo de pagamento, percebeu que só havia sido depositado o valor de R$ 1.000,00 e não o valor total do contracheque, e assim acabou passando por problemas com seu aluguel.

Em entrevista ao Divinews, a edil conta que a greve irá atrasar os alunos que não poderão concluir o ano letivo e desse modo seriam prejudicados ao tentar ingressar em outras escolas. “Se não tem dinheiro para pagar, pelo menos converse com nossos professores, a educação não pode estar da maneira como está” critica.  Ao ser questionada se alguma reunião havia sido marcada, Janete afirmou que fez um pedido ao presidente da Câmara para que ocorresse um encontro entre sindicato, representante dos pais e dos estudantes.

Cartas feitas pelos alunos do 6° ano da Escola Municipal Professor Odilon Santiago, foram entregues aos vereadores. Uma estudante do 9° ano da instituição, conta que já passou por greve no 7°ano e o clima entre os alunos é de tensão, ela explica o motivo das cartas: “A gente resolveu entregar essas cartas para os Vereadores para eles estarem cientes que todos os alunos estão sabendo do que está acontecendo.”

A aluna conta que fez inscrição para a prova do CEFET 2019 e caso a greve prevaleça ela não conseguirá ingressar na instituição, além disso, essa situação se aplicará a vários outros alunos pelo não fechamento do ano letivo nas escolas municipais. Através das cartas, os estudantes pensaram em resolver o problema dos professores para que assim, eles também não sejam prejudicados.

O estudante Lucas Martins aluno do nono ano escola municipal professor Odilon Santiago conta sobre o receio que os alunos vêm sentindo já que se de fato uma greve acontecer ficarão prejudicados para ingressar no Ensino Médio, principalmente o Cefet que exige apresentação do histórico dez dias após os resultados da prova de aprovação.

“Estamos preocupados com a situação da nossa escola e professores porque se fizermos a prova pra uma escola federal não vamos poder ir já que não teremos o histórico e é preocupante e nos que somos alunos também sofre”

O aluno também lembrou da importância de se conhecer a democracia ressaltando que os representantes da cidade prestem mais atenção e façam melhorias na educação

O professor José Heleno, relata que muitos professores têm como única fonte de pagamento, o salário da rede municipal de ensino, o que torna o problema mais agravante. Ele salientou ser um absurdo as pessoas não terem seu pagamento em dia e que qualquer trabalhador tem o direito de receber em dia. Após a operação tartaruga iniciada nesta segunda-feira (5) e a previsão do início da greve, o profissional de ensino evidenciou não ser uma reivindicação para reajuste salarial, e ressalta: “Nós recebemos R$ 1.000,00 referente a setembro e outubro e agora o anúncio da prefeitura é de que serão depositados R$ 500,00 referentes ao mês de setembro, na próxima segunda-feira.

Depois da operação “tartaruga”, que começou na última segunda-feira, hoje, sexta-feira (09), será deflagrada a greve da categoria.

 

Um comentário em “Tensão na Câmara de Divinópolis com as presenças de pais, alunos e professores

  • 3 de dezembro de 2018 em 22:45
    Permalink

    O Brasil ficou sem recursos, pelos desvios ocorridos durante os anos petistas no governo, mandando dinheiro para ajudar diversos países comunistas. Ainda assim os petistas continuam fazendo discursos diversos afirmativos que muito fizeram pelo povo, só que continuaram com os benefícios até acabarem recursos deixados pelos governos anteriores. Certo que onde se tira e nada põe, acaba. As nossas riquezas foram desviadas para eles que ficaram todos ricos e muito ricos, mas o povo não analisa isso. Fizeram aeroporto em Cuba e obras na áfrica, além de ajuda para a Venezuela, mas em valores altos que serão apurados ainda. Tristemente, todos nós passaremos por isso. Eu também sou professor e sei disso.Prefeitura depende de repasses de verbas porque o IPTU não é suficiente para todas as despesas.

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

16  +    =  24