Policia Civil prende homem que simulou seu sequestro para tomar dinheiro da própria família para pagar bancos e traficante


A Polícia Civil de Minas Gerais, por intermédio da 4ª Delegacia de Carmo do Cajuru, nesta terça-feira (11), no local conhecido como Pedra do Calhau realizou a prisão do investigado Vinicius Alves da Fonseca, de 21 anos, pela prática dos crimes de extorsão e comunicação falsa de delito.

Na noite deste última segunda-feira (10), o investigado entrou em contato com amigos e familiares, oportunidade em que ponderou ter sido assaltado e sequestrado por cinco indivíduos, ao terminar de recolher valores de um consórcio no Bairro Vitória.

Segundo o Delegado Weslley Amaral de Castro, responsável pelo caso, imediatamente se iniciaram as investigações que aconteceu durante toda a madrugada desta terça-feira (11) e também durante o dia.

O investigado, ponderava que estava no interior do porta-malas de seu veículo, mas ainda estava com acesso ao aparelho telefônico, sendo que por isso ainda conseguia repassar informações.

Já pela manhã, a família da vítima procurou pela Polícia Civil, momento em que começaram a receber mensagens de uma linha telefônica diferente, que seria do sequestrador, tendo então a Polícia Civil assumido as negociações.

A todo momento, o investigado que se passava por sequestrador extorquia os familiares e ameaçava matá-lo, inclusive ponderando que iria colocar fogo na vítima.

No decorrer das investigações, a equipe de Policiais Civis apurou que o investigado, que se passava por vítima, detinha diversas dívidas e que, aquele chip que então era usado pelo sequestrador na verdade era de sua propriedade, muito embora família e namorada desconhecessem tal fato.

Já no final da tarde, após rastreamentos da equipe de Policiais tanto o veículo, quanto o investigado (que se passava por vítima) foram localizados, bem como os aparelhos telefônicos utilizados.

Segundo o Delegado, Weslley, após interrogar o investigado ele confessou que realizou a extorsão pois estava devendo valores altos para bancos e também para um traficante.

As investigações, prosseguiram para apurar a eventual participação de alguma outra pessoa, muito embora até o momento não aponte nesta direção, conforme informação do Delegado.

O investigado foi preso em flagrante pela prática dos crimes de extorsão e de denunciação caluniosa, podendo a ser condenado até a uma pena de 18 anos.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

COMENTÁRIO SEM IDENTIFICAÇÃO DO FACEBOOK