PF, MPT e MTE combatem o trabalho escravo em Minas Gerais

16 trabalhadores foram resgatados em uma operação conjunta

Publicado por: Redação

Em ações coordenadas, a Polícia Federal, o Ministério do Trabalho e Emprego, através da Gerência Regional do Trabalho em Uberaba, e o Ministério Público do Trabalho deflagraram uma operação conjunta de combate ao trabalho análogo ao de escravo em municípios da região de Santa Rosa da Serra e Campos Altos, em Minas Gerais.  

As operações, iniciadas no dia 3 de junho de 2024, foram desencadeada após denúncias que apontavam fortes indícios de condições análogas à escravidão na cultura do café. Em resposta às denúncias, uma força-tarefa foi montada para investigar e coibir essa prática criminosa, resultando no resgate de 16 trabalhadores que viviam em condições degradantes e insalubres.

Continua depois da publicidade

Os trabalhadores resgatados foram aliciados no interior da Bahia e encontrados em situação de vulnerabilidade, sem acesso a condições mínimas de segurança, saúde e dignidade.

Durante as operações, foram realizadas inspeções nas propriedades rurais denunciadas, e os responsáveis por tais práticas ilegais foram identificados e podem ser investigados pelos crimes de redução a condição análoga à de escravo, além de outras infrações trabalhistas. Os empregadores serão notificados e investigados pelos atos praticados.

Nesta sexta-feira, os 16 trabalhadores receberam cerca de R$ 90.000,00 em verbas salariais e rescisórias. Os trabalhadores também terão direito a três parcelas de seguro desemprego e tiveram seu retorno aos locais de origem garantido. O Ministério Público do Trabalho ainda está em negociação de indenização por danos morais individuais em favor dos trabalhadores.

Entre no grupo do Whatsapp do Divinews e fique por dentro de tudo o que acontece em Divinópolis e região

comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estamos felizes por você ter escolhido deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de privacidade.

Continua depois da publicidade