Morre aos 96 anos a Rainha Elizabeth II


Morreu nesta quinta-feira (08) o mais longevo monarca  da Inglaterra, Elizabeth Alexandra Mary, Elizabeth II, que nasceu em 21 de abril de 1926 em Londres. Elizabeth não era somente rainha da Inglaterra mas de outros catorze outros países, o Reino Unido, além de ser chefe da Commenwealth composta por 53 países independentes – Já prevendo o desfecho, todos os filhos da monarca forma chamados para estar com ela nos últimos momentos de vida, já que sua saúde há algum tempo estava debilitada. O último ato oficial da Rainha, foi dar posse a primeira-ministra Liz Truss na última terça-feira (06), já na Escócia onde estava reclusa.

Isabel nasceu na área de Mayfair, em Londres, como a primeira filha do duque e da duquesa de Iorque (mais tarde rei Jorge VI e rainha Isabel). Seu pai subiu ao trono em 1936 após a abdicação de seu irmão, o rei Eduardo VIII, tornando a princesa Isabel a herdeira presuntiva do trono britânico. Ela foi educada particularmente em casa e começou a exercer funções públicas durante a Segunda Guerra Mundial, servindo no Serviço Territorial Auxiliar.

Em novembro de 1947, ela se casou com Filipe Mountbatten, um ex-príncipe da Grécia e Dinamarca, e seu casamento durou 73 anos até a morte de Filipe em 2021. Eles tiveram quatro filhos: Carlos, Príncipe de Gales; Ana, Princesa Real; o príncipe André, Duque de Iorque; e o príncipe Eduardo, Conde de Wessex.

Quando seu pai morreu em fevereiro de 1952, Isabel – então com 25 anos – tornou-se rainha reinante de sete países independentes dos Reinos da Comunidade de Nações: Reino Unido, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, África do Sul, Paquistão e Ceilão, bem como a chefe da Commonwealth.

Isabel reinou como monarca constitucional por meio de grandes mudanças políticas, como os problemas na Irlanda do Norte, a devolução no Reino Unido, a descolonização da África e a adesão do Reino Unido às Comunidades Europeias e a retirada da União Europeia. O número de seus reinos variou ao longo do tempo à medida que os territórios conquistaram a independência e alguns reinos se tornaram repúblicas. Suas muitas visitas e reuniões históricas incluem visitas de Estado à República Popular da China em 1986, à Federação Russa em 1994, à República da Irlanda em 2011 e visitas de ou para cinco papas.

Tempos de significância pessoal incluem os nascimentos e casamentos de seus filhos e netos, a investidura do Príncipe de Gales e a celebração de marcos como seus jubileus de Prata em 1977, Ouro em 2002 e Diamante em 2012. Momentos de dificuldade incluem a morte de seu pai aos 56 anos, o assassinato de Louis Mountbatten, tio do príncipe Filipe, o fim dos casamentos de seus filhos em 1992 (um ano que ela mesma chamou de annus horribilis), a morte em 1997 de Diana, Princesa de Gales, ex-esposa de Carlos, e as mortes de sua irmã e mãe em 2002. Isabel ocasionalmente enfrentou movimentos republicanos e pesadas críticas a família real, porém o apoio a monarquia e sua popularidade pessoal permanecem altos.

Isabel II guarda parentesco com várias casas reais da Europa. A rainha Margarida II da Dinamarca, o rei Haroldo V da Noruega, o rei Carlos XVI Gustavo da Suécia, os reis eméritos Juan Carlos da Espanha e Sofia da Espanha (e o filho deles, o atual rei Filipe VI da Espanha), e os ex-reis da Grécia Constantino II e Ana Maria da Grécia, são todos seus primos em terceiro grau, por serem descendentes da rainha Vitória do Reino Unido (trisavó de Isabel e também de seu falecido marido, Filipe, Duque de Edimburgo).

Em 6 de fevereiro de 2022, Isabel II atingiu 70 anos de reinado, sendo a única monarca britânica a celebrar um Jubileu de Platina. A partir do dia 12 de junho do mesmo ano, passou a ocupar a segunda posição entre os monarcas com reinados mais longos na História, atrás apenas do rei Luís XIV (da França – este com 72 anos e 110 dias de reinado). É também a monarca reinante mais idosa de todos os tempos.

 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

21  +    =  26