Inflação faz preço da cesta básica em Divinópolis subir 18% em um ano


Em um ano, a cesta básica de alimentos em Divinópolis variou positivamente 18,58%, dado apontado pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômico-sociais (NEPES) da Faculdade Una Divinópolis. Segundo o comparativo, o grupo de alimentos em janeiro de 2021 custava R$ 451,97 e 12 meses depois, janeiro de 2022, chega a R$ 535,95. A variação assusta o divinopolitano que durante o ano de 2021 viu o índice subir por várias vezes. No primeiro levantamento do ano, a cesta básica apresentou um reajuste de 2,03% em relação a dezembro, quando o custo foi de R$ 525,29. De acordo com o professor universitário e coordenador do NEPES/Una, Wagner Almeida, ao comparar o custo da cesta básica em Divinópolis no mês janeiro/2022 com mesmo período de 2021, observa-se uma variação positiva de 18,6% em 12 meses. “Esses números apontam que os alimentos da cesta básica tiveram alta acima da inflação em 2021, que fechou o ano em 10,06% segundo dados do IBGE. Esse aumento observado no nível de preços se deve a diversos fatores, como problemas climáticos que afetaram algumas culturas, redução da área plantada, redução do consumo por parte das famílias, alta do dólar que refletiu no preço dos insumos importados. Enfim, um conjunto de fatores que fizeram a inflação pesar no bolso do trabalhador em 2021”, explica Wagner.

E para 2022, um novo aumento. Comparado a dezembro, a cesta básica subiu 2,03%. A carne bovina segue representando o maior peso (41,1%) na composição da cesta básica de alimentos. “Foram pesquisados os cortes chã de dentro e chã de fora. No mês de janeiro foi observada uma alta de 4,34% em relação a dezembro no preço médio do quilo da carne”, destaca Wagner.

Outros itens que demonstraram aumento no mês estão a batata-inglesa (53,61%), o feijão (9,63%) e a banana-prata (9,23%), sendo esta última em função da diminuição da área plantada. “Um dos motivos para este aumento deve-se as chuvas de janeiro que atrasaram a colheita, o que causou redução na oferta e, em algumas regiões, afetou a produtividade”, ressalta o professor universitário.

A pesquisa do custo da cesta básica é realizada conforme metodologia adotada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE) e foi realizada entre os dias 21 e 26 de janeiro/2022 com o levantamento de preços praticados por 08 estabelecimentos com representatividade no ramo de produtos alimentícios no município de Divinópolis. Esta cesta, chamada Cesta Básica de Alimentos, é composta por 13 produtos alimentícios, que seriam suficientes para o sustento e bem-estar de um trabalhador em idade adulta, durante um mês, contendo quantidades balanceadas de todos os nutrientes necessários a manutenção da saúde.

Salário Mínimo

Ainda segundo o professor universitário e coordenador do NEPES/Una, Wagner Almeida, de acordo com o levantamento realizado em Divinópolis no mês de janeiro/2022, estima-se que o Salário Mínimo necessário deveria ser equivalente a R$ 4.502,52 ou 3,71 vezes o mínimo de R$ 1.212,00.

Com base no valor médio da cesta básica em janeiro/2022, o trabalhador divinopolitano remunerado pelo piso nacional de R$1.212,00, precisou trabalhar 97 horas e 17 minutos para adquirir os produtos básicos da alimentação. “Para o trabalhador remunerado pelo piso nacional (R$ 1.212,00 a partir de 01/2022) o custo da cesta básica em janeiro foi equivalente a 44,2% do salário mínimo bruto. Ao comparar com o salário mínimo líquido, isto é, após o desconto referente à Previdência Social (7,5%), verifica-se que o trabalhador comprometeu em janeiro, 47,8% do salário mínimo líquido vigente para comprar os alimentos básicos para uma pessoa adulta”, destaca Wagner Almeida.

 

Veja a pesquisa na íntegra

 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  +  54  =  57