Corpo de Bombeiros combate incêndio florestal por cinco dias, na Serra do Morro da Cruz em Pitangui (Imagens)


Após cinco dias de intenso e ininterrupto combate e uma perda de vegetação de aproximadamente 550 hectares, a Operação de Combate ao incêndio florestal na Serra do Morro da Cruz, em Pitangui, foi finalizada. A mobilização operacional do 10° Batalhão de Bombeiros Militar para a instalação da operação começou no último dia 25 de agosto, quando o Cobom foi acionado para o combate às chamas. No primeiro dia de operação foram empenhados 16 militares, um drone, foi caminhões pipa, uma caminhonete de salvamento e um auto bomba tanque. Neste dia, os trabalhos das equipes começaram por volta das 05 horas da manhã e se estenderam até às 21 horas. O posto de comando, local em que são planejadas as ações de combate às chamas e gestão de logística e recursos humanos, foi instalado, inicialmente, na Secretaria de Educação. De acordo com informações, os diversos focos espalhados ao longo da região dificultavam o trabalho dos grupamentos de bombeiros. (Veja as imagens ao fim da reportagem)

A partir do segundo dia de operação (26 de agosto), aumentou-se o efetivo de militares com o propósito de mobilizar mais frentes de combate para atender a grande demanda. A partir também do segundo dia, foram atendidos diversos chamados de incêndio em vegetação que ameaçavam as residências limítrofes à Serra do Morro da Cruz. Foram gastos, aproximadamente, 25.000 litros d’água para o combate. Uma equipe especializada em Combate a Incêndio Florestal do Batalhão de Emergências Ambientais – BEMAD – de Belo Horizonte foi designada para apoiar na operação.

No terceiro dia (27 de agosto), o Batalhão de Operações Aéreas do CBMMG enviou um avião – Air Tractor – para auxiliar no arrefecimento das grandes chamas e possibilitando assim a aproximação dos grupamentos terrestres, aumentando, substancialmente, a eficiência do combate. A disponibilização deste recurso acelerou a extinção de inúmeros focos. Em razão da evolução positiva da operação, neste dia, os trabalhos se prolongaram até as 23 horas deste dia. Diante da necessidade da equipe e melhor articulação da operação, o Posto de Comando migrou para a Associação Atlética do Banco do Brasil, sendo considerados também para a migração a posição estratégica do clube e infra estrutura ofertada.

No sábado (28/08), segundo o Cobom, a estratégia foi combater os pequenos focos que surgiam e eram detectados através das imagens captadas pelo Drone. Também foram combatidos incêndios próximos à área urbana. O Batalhão de Operações Aéreas, através do avião disponibilizado para a operação, realizou sobrevoo no local pela manhã avaliando os focos.

No domingo (29/08), o objetivo proposto foi a resfriar e apagar as chamas em diversos locais para assegurar que os focos não retornassem. Ao fim do dia, as equipes permaneceram de prontidão no município de Pitangui para qualquer acionamento.

Ainda conforme a corporação, ao todo, foram gastos, aproximadamente, 55.000 litros de água, seja para o combate na área urbana, seja para o abastecimento das bombas costais e mochilas costais dos grupamentos em campo. Os bombeiros estimaram, por dados extraídos com drone, que possivelmente, a área atingida pelo incêndio ultrapassou 550 hectares.

O 10° Batalhão de Bombeiros destacou o apoio prestado pela prefeitura de Pitangui, bem como de todos os apoiadores da sociedade civil, em especial, da Associação Atlética Banco do Brasil – Pitangui/MG (AABB). Os bombeiros também agradeceram a toda população.

 

(Imagens cedidas pelo 10° Batalhão do Corpo de Bombeiros Militares de Minas Gerais)

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

1  +  7  =