Divinópolis tem carnaval de pré-candidatos a prefeito


São tantos pré-candidatos a prefeito de Divinópolis que dá para formar um mini bloco de carnaval. Todos cantando o mesmo enredo: “Eu vou tô eleito” –  A grande verdade é que, a maioria não tem chance alguma de estar no primeiro grupo do samba. Só vão passear na Avenida, fazer mera figuração eleitoral batendo bumbo fora do ritmo. Porém, se tem uma coisa que é comum a todos candidatos, é a certeza de que não vão atravessar o samba, e que serão eleitos. Mesmo que todas as evidências que estão ali na frente de cada um, sinalizem ao contrário.  Todos, absolutamente todos, são otimistas que serão eleitos.   

Segundo um falecido jornalista, existe um termômetro que mede a popularidade de pretensos candidatos. Se desfilarem pela Primeiro de Junho, da esquina da Rua São Paulo até a Rua Goiás, na esquina com Rua 21 de Abril, sem ser parado por populares no mínimo umas 10 vezes, pode esquecer que não emplaca, sequer como vereador.

Como está a situação de alguns pré-candidatos, incluindo o prefeito Galileu Machado.

Cleitinho Azevedo (Cidadania)

Aparentemente, é “pule de dez” (favorito) se sair candidato a prefeito, ele mesmo. Dificilmente deixa de ser eleito prefeito de Divinópolis. Independentemente de quem seja seu vice. Entretanto, se tomar essa decisão pode estar cometendo um erro mortal em sua vida política. Torna-se Prefeito de Divinópolis, e perder a projeção em todo Estado. E o pior, deixará de ser pedra, para se tornar vidraça. E como não existe varinha mágica, que faz dinheiro aparecer em um passe de mágica, e nenhum legislativo é bonzinho em não fazer pressão e querer “coisas” do Executivo, aliado aos problemas e escolhas que todo prefeito passa, e precisa negociar para conseguir governar, o sonho de Cleitinho em alçar voos maiores, em direção ao Congresso, quer seja na Câmara ou no Senado, pode ser sepultado de forma definitiva. Legislar, fiscalizar e criticar ações do Executivo, é até fácil, difícil é executar e operacionalizar ações para o município.

O sonho de fato de Cleitinho, o que ele gostaria de verdade, é ter a garantia de que conseguirá emplacar os seus dois irmãos na política, um como vereador e o outro no Executivo, como cabeça de chapa ou vice. Conversas de bastidores dão conta de que já teria ocorrido um acordo entre Sargento Elton e Gleidson Azevedo.

Alguns eleitores já criticam o fato dele ter cumprido só 2 dos 4 anos de mandato na Câmara de Vereadores, as críticas podem ser potencializadas, se novamente dos 4 anos na ALMG como deputado estadual, ele só cumprir 2 anos.

Fabiano Tolentino (Cidadania)

Após o convite de Zema para o que deputado federal Bilac Pinto ocupasse um cargo no seu governo, e a desistência de Marcus Pestana em ocupar a cadeira de Bilac, Tolentino como terceiro suplente assumiu como deputado federal. Recentemente em uma reunião de Tolentino com Cleitinho, os dois definiram que o Cidadania terá candidato para prefeito. Cleitinho ou ele. Se o escolhido for ele, Cleitinho indica o vice – Mas a vontade mesmo de Tolentino é tentar a Prefeitura por saber que, atualmente Bilac Pinto está bem com Zema, mas amanhã poderá não estar, e voltar para a Câmara. Com isso Tolentino perde a vaga. Para ele é mais seguro politicamente tentar ser prefeito de Divinópolis, por que pode participar da campanha sem ter que se afastar do cargo de deputado federal.

Todavia, a candidatura de Tolentino está nublada, pois há informações que Cleitinho almeja é emplacar o seu irmão gêmeo como candidato a vice-prefeito. Neste cenário, como acomodar Gleidson Azevedo? Como vice de Tolentino?

Sargento Elton (Patriota)

O que o sargento sonha é ter as bênçãos de Cleitinho Azevedo em qualquer cenário que seja. Elton, ao obter 30 mil votos como candidato a deputado federal em 2018 advindo em sua maioria dos bolsonarianos, se entusiasmou e resolveu lançar seu nome como pré-candidato a prefeito.

As últimas conversas de bastidores, é que um acordo já teria sido costurado para Elton formar chapa com Gleidson Azevedo, irmão gêmeo de Cleitinho que também quer entrar para a política, além de Eduardo que declaradamente já é pré-candidato a vereador.

Se de fato for verídico o acordo de Cleitinho com Elton envolvendo Gleidson, a pergunta a ser feita é como ficará o acordo entre Tolentino e Cleitinho? De que o partido Cidadania terá candidato. Exceto se, Gleidson se filiar ao Cidadania. Porém, há rumores de que Elton teria fechado o acordo, sendo ele cabeça de chapa, e o irmão gêmeos de Cleitinho seria o vice, por não ter nenhuma experiência política.

Fora desse contexto, se não for nenhum dos dois. O vereador Elton, até então sequer cogitou um plano “B” para compor a chapa com ele. Segundo fonte teve um início de conversação com Marquinhos Clementino que não prosperou. Fora dos Azevedo, o pré-candidato está sem caminho.

Heloisa Cerri (Avante)

Após o rompimento político de Iris Moreira com Heloisa Cerri.  Segundo informações dos bastidores da política, Cerri diz que formou um novo grupo político, e o cabo eleitoral da pré-candidatura da médica obstetra, é Carlos Sátiro, que já teve um programa na TV Candides e atualmente dirige uma entidade filantrópica. Heloisa será candidata pelo Avante, que anteriormente era o PT do B, do deputado Tibé, filho de Timbelino dono do PRP – Até o momento a situação de Heloisa é uma incógnita, não há definição se de fato será candidata e quem será seu vice. Não se tem notícias que exista um quadro bom de vereadores no partido, nomes que façam a legenda atingir o coeficiente eleitoral para conseguir eleger um vereador.

Iris Moreira (PSD)

Com o apoio do prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD) forte candidato a reeleição da capital mineira. E segundo ela, com o apoio do senador Carlos Viana, o mesmo que destinou uma emenda de R$ 1,5 milhão para a aquisição da Usina de Asfalto para Divinópolis. Iris reafirma ser pré-candidatíssima a prefeita de Divinópolis, que está costurando o nome do seu vice-prefeito, assim como contou que a chapa de pré-candidatos a vereadores está completa.

Fernando Malta (PSL)

É candidato a prefeito pelo PSL, o antigo partido de Bolsonaro. Não se sabe ainda qual é a sua estratégia, se de fato quer ser cabeça de chapa, viabilizando o seu nome como pré-candidato a prefeito, ou tem como objetivo se viabilizar como vice-prefeito. O fato é que, até então não tem se articulado em busca de seu vice. Segue só observando os movimentos no tabuleiro do jogo político.

Marquinhos Clementino (PRB)

Marquinhos Clementino, a exemplo do que fez em 2016, quando foi candidato a prefeito de Divinópolis obtendo 35 mil votos, faz suas costuras políticas de forma quase invisível, quando o mundo político dá por si, ele já se viabilizou. Desta vez não está sendo diferente, ele está com um grupo forte de pré-candidatos a vereador. E tem sido “namorado” por vários candidatos para compor chapa majoritária – Tem uma negociação que está mais adiantada, e é quase certo que ocorra o casamento político.

Galileu Machado (MDB)

Já declarado pré-candidato a reeleição. Depois do rompimento do prefeito com o seu vice, Rinaldo Valério. Até então, aparentemente está sem vice. Cogita-se nos bastidores, ainda bem escondidinho que esse nome possa ser o do vereador Print Junior. Como líder do Governo na Câmara, fazendo mais do que o seu papel, Print não tem medido esforços de ir para a linha de frente de tiro e defender o prefeito com veemência. Ele nega, e diz que será candidato só a vereador.

Alexandra Galvão

Não é candidata a prefeita, e sim vice. Porém, como politicamente não existe pré-candidatura de vice-prefeito. O cargo parte de um convite de quem é pré-candidato a prefeito. Alexandra tem recebido inúmeros convites dos mais diversos declarados pré-candidatos a prefeito. Tem um convite que as conversas estão bem adiantadas, quase virando um “noivado”, com chances de se consumar um “casamento”.

Jaiminho Martins ( ? )

É ou não é pré-candidato a prefeito de Divinópolis? Essa é a pergunta que todos fazem. Jaiminho seguindo o seu peculiar jeito político de ser, ou seja de definir suas posições em cima da hora, no último segundo da prorrogação.  Mais uma vez deixa uma interrogação na cabeça não só dos seus mais próximos, como da população como um todo. Sai ou não sai candidato?

O DEM (Democratas) até então está nas mãos de um grupo, Ângelo Roncalli, ex-prefeito de São Gonçalo do Pará, e ex-presidente da AMM, com a participação de Léo Gabriel, ex-presidente da ACID, entre outros. Ocorre que, Jaiminho, segundo ele, por afinidade familiar e ligação com Rodrigo Maia, presidente da Câmara Federal, gostaria de ter a legenda partidária sob o seu comando, pois se resolver ser candidato a prefeito seria pelo DEM.

O fato é que o DEM, que já está quase todo “montado” com diversos candidatos a vereador, incluindo nomes que são do partido Novo, não estava prevendo essa mudança abrupta em seu comando no município. E isso está causando insegurança e incerteza, do que de fato o ex-deputado federal Jaime Martins vai fazer.

Afonso Gonzaga

O ex-presidente da FIEMG – Federação das Indústrias de Minas Gerais, e atual presidente da ABIFA – Associação Brasileira de Fundição, Afonso Gonzaga, continua sendo cogitado também um candidato a prefeito de Divinópolis, com o aval de alguns empresários peso pesado da cidade.

Léo Gabriel

O ex-presidente da ACID renunciou à presidência da entidade já pensando que poderia se viabilizar, não como um candidato a Prefeito, como cabeça de chapa, mas como um vice. Como está filiado ao DEM, segue sem definição, em compasso de espera do que vai fazer o ex-deputado federal Jaime Martins, que também pleiteia o partido, como já narrado anteriormente pelo Divinews. Léo afirmou já ter recebido 4 convites para ser vice. Porém tem que esperar as definições.

O fato é que muitas águas vão rolar por baixo da ponte política, até que ocorram as convenções partidárias que podem ser realizadas de 20 de julho a 5 de agosto.

Os registros de candidaturas devem ser protocolados na Justiça Eleitoral via internet até as 23h59 do dia 14 de agosto. Por meio físico, os requerimentos devem ser protocolados até as 19h do dia 15. Caso os partidos políticos não tenham apresentado dentro desses prazos, o requerimento de registro de candidatos escolhidos em convenção, os próprios candidatos poderão fazê-lo, pessoalmente até o dia 20 de agosto.

12 comentários em “Divinópolis tem carnaval de pré-candidatos a prefeito

  • 11 de agosto de 2020 em 17:16
    Permalink

    Se juntar todos os candidatos, não dá um. Divinopolis merece coisa melhor, chega de incompetentes. Esse Cleitinho e seus irmãos, não conseguiram administrar um varejão de verduras, será que conseguem administrar uma cidade do porte da nossa?

    Resposta
  • 19 de julho de 2020 em 10:43
    Permalink

    Povo de Divinopolis merece estes candidatos mesmo. Aliás, em Divinopolis tem gente de Divinopolis?

    Resposta
  • 2 de março de 2020 em 11:29
    Permalink

    Um pior que o outro , tenho dó de Divinópolis

    Resposta
  • 29 de fevereiro de 2020 em 11:08
    Permalink

    Meu voto é no Jaiminho Martins, mais cadê ele que sumiu da cidade UUUAAIIIIIII.

    Resposta
  • 28 de fevereiro de 2020 em 19:36
    Permalink

    Três pré-candidatos para defenderem os interesses da classe empresarial abastada de Divinópolis. Um atual prefeito com o maior índice de rejeição da história e alguns aventureiros de primeira viagem. Divinópolis, de mal a pior como sempre!

    Resposta
  • 28 de fevereiro de 2020 em 16:08
    Permalink

    Esse cleitinho ja ta é querendo arrumar um emprego de vereador pro irmão, e de vice prefeito pro outro? entao pelo visto, a cada eleição municipal que se passar , ele vai empurrar um parente diferente nesse povo , patético. Divinópolis merece seus buracos mesmo.

    Resposta
  • 28 de fevereiro de 2020 em 09:34
    Permalink

    eu não tenho a menor duvida o candidato que eu vou votar sera o Marquinho clementino ele já esta pronto para tirar essa cidade da penúria em que se encontra o povao

    Resposta
    • 26 de julho de 2020 em 11:01
      Permalink

      DIVINOPOLIS, CIDADE MARAVILHOSA, MERECE PREFEITO BOM. DA LISTA, CONSIDERO JAIME MARTINS, CASO SE CANDIDATE.

      Resposta
  • 27 de fevereiro de 2020 em 23:11
    Permalink

    Se manter isso. É Gagagalileu de novo. Num junta essa turma toda aí de cima, pega o menos ruim, e vai pru combate um desses. Se sair mais que quatro candidato, é inhambu na capanga. Vamos ficar com Gagagalileu

    Resposta
    • 28 de fevereiro de 2020 em 14:12
      Permalink

      Voto no marquinho clementino

      Resposta
  • 27 de fevereiro de 2020 em 19:17
    Permalink

    Tá feia a coisa. Coitada da nossa querida cidade. Só gente boa

    Resposta
  • 27 de fevereiro de 2020 em 18:09
    Permalink

    Pobre Divinópolis ser vítima da estratégia “dividir para reinar”. Essa prática é antiga e geralmente quem ganha a eleição depois dela é o menos preparado, para dizer o menos. Lá vem aí o REI com seu grande poderio econômico. Depois a cidade padece.

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  +  2  =  5