Seis ministros do TSE barram candidatura de Lula à presidência; Fachin é voto divergente; Haddad deverá substituir ex-presidente


A maioria dos ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu barrar o pedido de registro de candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à Presidência da República nas eleições de outubro. A decisão foi tomada a partir de 16 impugnações á candidatura apresentadas ao tribunal – A maioria formada entendeu que Lula está inelegível com base na Lei de Ficha Limpa, aprovada em 2010, que vetou a candidatura de quem foi condenado por órgão colegiado.  Votaram neste sentido o relator, Luís Roberto Barroso, Jorge Mussi, Og Fernandes,  Admar Gonzaga, Tarcisio Vieira e Rosa Weber. Edson Fachin foi o único a se manifestar a favor da concessão do registro – Pela decisão  Lula não poderá mais aparecer no programa eleitoral para presidente, veiculado no rádio e na televisão, até que o PT faça a substituição por outro candidato. Conforme o entendimento, o ex-presidente também deverá ter o nome e foto retirados da urna. O partido terá 10 dias para indicar o substituto que provavelmente deverá ser Fernando Haddad

Com Agência Brasil

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

PODCAST: escuta essa!!