Edson Sousa em 2006 em apenas 6 meses, gastou R$ 176,3 mil; Projetado para o ano seriam R$ 293 mil; Com transmissão da TV Câmara, chegaria ao estratosférico valor de R$ 435 mil reais


O Divinews está fazendo um levantamento dos gastos de publicidade dos ex-presidentes da Câmara de Divinópolis, e optou por começar a demonstrar os gastos a partir de 2006, ano em que o atual vereador eleito pelo PMDB, Edson Sousa foi presidente da Casa Legislativa – Naquele ano, o edil, em valores corrigidos pelo IGP-M, da FGV (Fundação Getúlio Vargas), em apenas meio semestre, a partir de junho até dezembro, em valores corrigidos, gastou R$ 176.339,82 (Cento e setenta e seis mil, trezentos e trinta e nove reais e oitenta e dois centavos), lembrando que, se o valor fosse projetado para os meses que normalmente a Câmara anuncia as suas campanhas publicitárias, que são dez meses de anúncios no ano, excetuando-se os meses de janeiro e julho, em consequência do recesso parlamentar, por projeção o vereador teria gasto R$ 293.899,70 ( Duzentos e noventa e três mil, oitocentos e noventa e nove reais e setenta centavos ) – Se em 2006, já existisse transmissões das reuniões ordinárias através da TV Câmaras, que são transmitida pela TV Candides,  ao valor que foi gasto por Edson Sousa, quanto presidente naquele ano seriam acrescentado R$ 135 mil reais, com isso o valor total chegaria a R$ 435 mil reais. Bem menos que os atuais R$ 280 mil reais gastos pelo atual Presidente Adair Otaviano durante todo o ano de 2017.

Na análise das contas de publicidades do então Presidente da Câmara, Edson Sousa, em 2006, existem algumas irregularidades, como exemplo: Está creditado como pagamento para o Jornal Gazeta do Oeste o valor total corrigido de R$ 28.499,97, contudo, inexplicavelmente R$ 5.788,35 refere-se a distribuição do Jornal Pinga Fogo, fato este ilegal, pois tratava-se de outra empresa. Ainda, no Pinga Fogo, existe uma descrição, em que o jornal recebeu R$ 2.413,50 referente a publicação de notícias da Câmara, e não foi por campanha publicitária. Dando o entendimento de que o valor pago foi de matéria jornalística paga.

Outra provável irregularidade na gestão de Edson como Presidente da Câmara, em 2006, foi pagar dentro do pagamento do Jornal Agora, no valor de R$ 35.950,92, também corrigido pelo IGP-M, o valor de R$ 14.481,00 referente a publicações no Guia Pemafa, que eram empresas independentes, uma era jornal e a outra um catálogo telefônico.

Também naquela época a Câmara pagou para o extinto Jornal Magazine, o valor de R$ 4.357,79 a título de assinaturas para os gabinetes de todos os vereadores, além da parte administrativa. Não foi informado para o Divinews quantas assinaturas foram pagas. Porém comparado ao valor das assinaturas de jornais atualmente era uma verdadeira exorbitância. Se o valor fosse dividido por 20 assinaturas equivale dizer que cada assinatura teria o valor de R$ 217,88.

Uma revista que ninguém conhece nos dias de hoje “UAI” foi contemplada com o valor, quase simbólico de R$ 594,99 (quinhentos e noventa e quatro reais e noventa e nove centavos), valor corrigido pelo IGP-M. – Outra Revista foi a Styllus, que também não existe mais, R$ 3.580,72 (Três mil, quinhentos e oitenta reais e setenta e dois centavos) valor corrigido.

A distribuição de verba publicitária durante o mandato de Edson Sousa, como Presidente do Legislativo, pode ter sido ilegal para a Rádio 89 FM, já que era uma emissora comunitária e não poderia receber recursos públicos, exceto se for na forma de apoio cultural. Mas, para isso antes de qualquer veiculação de publicidade, como exemplo, em um spot comercial, a locução deveria começar com “Apoio Cultural………” – E nunca houve isso naquela época. Outro dado que caracteriza a rádio comunitária, é o preenchimento do pedido de inserção. Tem que constar que é apoio cultural e não pagamento comercial de inserções publicitárias. O fato é que foram gastos nesta emissora o valor de R$ 9.458,56, que o Ministério Público, se houver denúncia, pode pedir ressarcimento aos cofres públicos por parte do então presidente Edson Sousa.

Jornal Agora:                         R$ 35.950,92

TV Integração:                       R$ 28.958,87

Gazeta do Oeste:                   R$ 28.499,97

TV Alterosa:                           R$ 25.939,16

Rádio 89 FM                          R$   9.458,56 (Rádio Comunitária)

Pinga Fogo:                            R$   7.887,45

Rádio Minas:                          R$   7.793,85

TV Candidés:                         R$   5.692,22

Rádio Divinópolis                R$   5.911,59

Rádio Nova:                           R$   5.902,14

Rádio Candidés:                   R$   5.911,59

Jornal Magazine                  R$   4.357,79

Revista UAI:                          R$      594,99

Revista Styllus                      R$   3.580,72

Os valores foram corrigidos Índice Geral de Preço (IGPM)

[foogallery id=”53445″]

 

 

 

 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

17  +    =  18