Proprietário de bar para não fechar chora pela reabertura do setor – Liberação está decidida, sem bebida


O Mundo, o Brasil, Divinópolis estão em uma das maiores encruzilhadas da história, de um lado o risco real de contágio pela Covid-19 e do outro os sérios e graves problemas de uma economia fechada, em que determinados setores são mais afetados que os outros pelo estilo do negócio em si. Que alguns avaliam como de necessidade secundária, mas que emprega milhões de trabalhadores, país de família e que precisam levar o sustento para suas casas e neste momento é o setor mais prejudicado pela pandemia. Nesta cadeia produtiva da economia, os bares são os que mais tem sofrido e amargado um prejuízo imensurável, com estabelecimentos fechando, e como consequência demitindo trabalhadores – O acontecimento desta semana que envolve a tragédia econômica foi o pedido lamurioso de Rafael Batista, proprietário do Churrasquinho do Raimundo, que ao gravar um vídeo, cercado por seus funcionários foi às lagrimas, enquanto seus funcionários também apelavam para o Comitê de Enfrentamento à Covid-19 liberasse a reabertura do setor.

O Vereador Roger Viegas, lamenta que o Governo e mais especificamente o Comitê de Crise à Covid sigam sem solução para os estabelecimentos que estão fechados e com suas contas chegando e o pior, funcionários sendo mandados embora.

O vereador diz que o comitê de enfrentamento do Covid-19 segue reabrindo comércios, academias, entre outros seguimentos, e não permitem a abertura dos estabelecimentos gastronômicos para funcionamento a noite, com as devidas precauções, como tem feito os demais. E volta a falar que centenas de pessoas estão desempregadas e os donos dos estabelecimentos a beira da falência, pois os serviços de delivery não consegue atingir 5% das vendas diárias dos locais.

O edil chegou a usar a Tribuna da Câmara Municipal para explanar sobre o caso e comentar o vídeo de Rafael, que emocionou toda cidade. Viegas usou como exemplos as igrejas, que podem receber cerca de 100 fieis por vez, enquanto os estabelecimentos gastronômicos, que proporcionam levar alimento para muitas famílias, seguem sem um posicionamento do Comitê.

O Divinews obteve a informação de que os protocolos da tão falada “Matriz de Risco” serão publicados possivelmente amanhã, sexta-feira (19). Contudo, os bares especializados na venda de espetos, as pizzarias e as hambúrguerias não poderão comercializar bebidas alcoólicas. Somente seus produtos da atividade fim.

O fato é que, a alavanca mestra para esse tipo de estabelecimento comercial é a bebida, e na avaliação de quem já tem conhecimento do que será publicado, com bares abertos, sem a comercialização de bebidas, seria como ir a Roma e não ver o Papa. E é fato que os setores responsáveis da Prefeitura pela fiscalização do cumprimento desta normal que será estabelecida na Matriz não tem mão de obra suficiente para fiscalizar. E  ao fim todos venderão bebidas alcoólicas de forma escondida, como acontecia durante a “Lei Seca” nos Estados Unidos. Então por que não liberar oficialmente, sem a hipocrisia de que não haverá consumo.

EM CONSEQUÊNCIA DO PERÍODO ELEITORAL OS COMENTÁRIOS ESTÃO SUSPENSOS

PODCAST: escuta essa!!