Banner
DiviNews Minas Gerais Cidades Carmo do Cajuru SERVIDORES PARAM: servidores municipais de Carmo do Cajuru param na terça-feira (09) reividicando melhorias para a categoria
Sáb, 06 de Setembro de 2014 10:49 - Atualizado ( Sáb, 06 de Setembro de 2014 20:15 )

SERVIDORES PARAM: servidores municipais de Carmo do Cajuru param na terça-feira (09) reividicando melhorias para a categoria

DiviNews
No próximo dia 9, terça-feira, os servidores públicos do município de Carmo do Cajuru irão paralisar as atividades, garantindo apenas o funcionamento dos serviços essenciais, conforme estabelece a lei. O vice-presidente do Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis e Região Centro Oeste - Sintram, Eduardo Parreira, afirma que a paralisação é um protesto e alerta ao prefeito da cidade, José Clarete, por descumprir a agenda firmada com o sindicato para realização de concurso público, sendo as datas desse processo propostas por seu assessor jurídico, além atualização do Plano de Cargo, Carreira e Salários


Credito Imagem: Mariana Cançado

De acordo com a agenda estabelecida pelo município com o Sintram, a data limite para a licitação da empresa organizadora era até 15 de agosto, a realização do concurso em outubro e a posse dos aprovados em 15 de janeiro de 2015.

Devido ao não cumprimento dessa agenda, foi realizada assembleia com os servidores na última terça-feira (2) e dos 328 servidores efetivos, houve a participação de 260. “Essa grande participação mostra o grau de insatisfação e de indignação dos servidores do município com essa situação”, declarou. Na assembleia, ficou deliberada a paralisação na próxima terça-feira (9) e uma representação junto ao Ministério Público denunciando o excessivo número de contratados , contrariando a lei que estabelece a investidura em cargo público pela via de concurso.

Parreira afirma que na última quarta-feira (3), um dia após a assembleia, os servidores foram “agraciados” com a publicação do decreto do Executivo, que determina a licitação para contratação da empresa realizadora do concurso. “Esse é o primeiro passo, no entanto ele já deveria ter sido dado dentro da agenda construída pelo próprio assessor jurídico do prefeito, ou seja, no dia 15 de agosto e só na quarta-feira (3) de setembro ele foi publicado”, declarou.

Previdência
Parreira alerta que a questão do concurso público atinge o futuro dos servidores efetivos, já que sem a medida haverá um desequilíbrio financeiro na Prevcarmo comprometendo aposentadorias. Ele espera que o processo tenha continuidade, após a publicação do decreto. “A decisão de paralisação pelos servidores acertada na assembleia foi muito positiva, pois mostra que eles estão preocupados com a condição de vida e de trabalho deles e sabem que as administrações passam, mas a vida deles permanece vinculada a essa situação de realização do concurso, que lhes garante na PREVCARMO, receita para pagamento de sua aposentadoria”, declarou.

Paralisação
O vice-presidente afirma que a paralisação está mantida, mesmo após o decreto. “A paralisação está mantida porque o decreto atende apenas o primeiro passo. O que deveria estar acontecendo agora seria já a elaboração do processo seletivo para aplicação das provas em outubro, o que muito provavelmente estará comprometido”, declarou. O diretor finalizou dizendo que acredita na “boa-fé das pessoas” e espera do gestor público e seu assessor o cumprimento da agenda dentro dos prazos pactuados, sendo o que, de fato, interessa aos servidores.






Imprimir E-mail PDF
Comente esta notícia
Busca RSS
Escrever um comentário
Nome:
E-mail:
 
Website:
Título: