Banner
DiviNews Entretenimento Celebridades Neymar é intimado a depor como réu, por fraude e corrupção na sua transferência para o Barcelona e pode parar na prisão
Qua, 13 de Janeiro de 2016 10:44 - Atualizado ( Qui, 14 de Janeiro de 2016 00:21 )

Neymar é intimado a depor como réu, por fraude e corrupção na sua transferência para o Barcelona e pode parar na prisão

DiviNews
Neymar foi intimado nesta quarta(13) a depor como réu no dia 2 de fevereiro, no caso que investiga o seu envolvimento em uma fraude relacionada à sua transferência para o Barcelona – O jogador vai responder por fraude e corrupção entre particulares – No imbróglio estão envolvidos além do atacante, o pai do jogador, Neymar da Silva Santos, a mãe, Nadine Gonçalves da Silva Santos, o presidente do Barcelona, Josep Maria, o ex-manda-chuvas do clube, Sandro Rosell, além de Luis Álvaro de Oliveira e Odílio Rodríguez, ex-presidentes do Santos, também foram convocados a depor - Neymar é acusado pelo grupo que detinha parte dos direitos econômicos do atacante, de corrupção privada e estelionato em por suspeita de ter simulado contrato no valor de 17 milhões de euros - O Santos, o Barcelona e a N&N Consultoria, empresa da família de Neymar, também são réus no processo - Documentos mostram que o valor da negociação do atleta, feita em 2013, já bateu a casa dos 90 milhões de euros (R$ 385 milhões), segundo advogados que cuidam do caso - A DIS cobra 40% de todo o valor apurado, porcentagem que detinha dos direitos econômicos do atleta, que poderia chegar a 32 milhões de euros (R$ 140 milhões) - Outro interessado em receber eventual diferença de valores da transação é a Federação das Associações dos Atletas Profissionais (FAAP). Ela, que por lei tem direito a ganhar 0,8% de todas as transferências realizadas no futebol brasileiro (nacionais e internacionais), também entrou como parte prejudicada na ação penal proposta pela DIS - Os réus podem ser condenados a pagar uma indenização, mas também à prisão. As penas dos dois crimes apontados, corrupção privada e estelionato de contrato simulado, variam de seis meses a quatro anos de detenção. Somadas, podem chegar a oito anos de prisão.  

Com Folha


Imprimir E-mail PDF
Comente esta notícia
Busca RSS
RONIU  - KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK   |2016-01-13 15:07:06
COM O DINHEIRO QUE ESSE CARA TEM VAI PRA CADEIA ISSO E PIADA .......;;;;;;KKKKKKKKKKKKKKK SO NO BRASIL TER QUE ESCUTAR ISSO
FERNANDO GENÉSIO   |2016-01-13 12:11:06
É MANIA DOS BRASILEIROS, QUERER LEVAR VANTAGEM EM TUDO. SE FERROU!!!!!!!
Escrever um comentário
Nome:
E-mail:
 
Website:
Título:
 

Buscar matérias no Divinews

Show de prêmios e ofertas ABC

You must have the Adobe Flash Player installed to view this player.