Prefeitura de Divinópolis gasta R$ 421 mil reais com 1.178 servidores em atividades insalubres, informa SEMAD


Conforme informações da Secretaria de Administração Orçamento e Informação, por sua secretária Raquel Freitas, por pedido de informação oficial do Divinews, conforme a lei de acesso à informação, no mês de abril a Prefeitura pagou o valor de R$ 422.581,63 (quatrocentos e vinte e um mil, quinhentos e oitenta e um reais e sessenta e três centavos) referente a atividade insalubres, para 1.178 servidores – Sendo que 25 estão lotados na Secretaria Municipal da Cultura, consumindo um total de quase R$ 10 mil reais; 14 estão na própria Secretaria de Administração, com R$ 4,7 mil reais; 22 pertencem a Secretaria de Agronegócios; 7 são da Secretaria de Educação; 3 da Secretaria de Esporte e Juventude; 82 trabalham na Secretaria de Serviços e Operações Urbanas; somente 1 na Secretaria de Assistência Social; 2, na SETTRANS; e 1022, na Secretaria de Saúde – A análise da legitimidade dos recebimentos de tais  insalubridades não é possível ser feita, pois o pedido de informação não foi totalmente respondido, já que as funções de tais servidores não fizeram parte da resposta do relatório. Daí o questionamento sobre a legalidade do recebimento de insalubridade, principalmente para duas Secretarias, 25 servidores na Cultura e 14 na Administração. Veja a seguir o que é considerado um trabalho insalubre.      

Atividades insalubres são aquelas em que os trabalhadores são expostos aos agentes prejudiciais à saúde em quantidade acima do que são permitidas por lei. E são consideradas atividades ou operações insalubres as que se desenvolvem (Norma Regulamentadora 15) – Acima dos limites de tolerância previstos nos anexos da NR-15 (Limites de Tolerância para Ruído Contínuo ou Intermitente; para Ruídos de Impacto; para Exposição ao Calor; para Radiações Ionizantes; Agentes Químicos cuja Insalubridade é caracterizada por Limite de Tolerância e Inspeção no Local de Trabalho; e Limites de Tolerância para Poeiras Minerais); No trabalho sob Condições Hiperbáricas, com agentes químicos e agentes biológicos; Comprovadas através de laudo de inspeção do local de trabalho, relacionadas a Radiações Não Ionizantes, Vibrações, Frio e Umidade.

 

7 comentários em “Prefeitura de Divinópolis gasta R$ 421 mil reais com 1.178 servidores em atividades insalubres, informa SEMAD

  • 18 de maio de 2019 em 12:42
    Permalink

    Insalubridade para funcionário público que não faz p…. nenhuma, é brincadeira!
    Daqui há pouco vão querer também periculosidade!

    Resposta
  • 18 de maio de 2019 em 10:12
    Permalink

    a culpa e dos vereadores que nunca cumpriram seu papel de investigar outro exemplo so pode pela lei dirigir carros publicos motoristas concursados muitos convocados pelo MP relataram que nao e isso o que acontece e ate agora nada foi feito pelos orgaos investigadores

    Resposta
  • 17 de maio de 2019 em 10:34
    Permalink

    Você tá certo FFFFFF, ai é puro foco de mofo, bactérias, cupins, picuman, etc, tive ai estes dias para pesquisar não aguentei ficar nesse local insalubre.
    Mata qualquer um que frequenta diariamente está biblioteca.

    Resposta
  • 17 de maio de 2019 em 06:03
    Permalink

    Biblioteca? Qual setor dela é insalubre?
    Ministério público tem que intervir nessa denúncia. Um absurdo isso.

    Resposta
  • 16 de maio de 2019 em 13:29
    Permalink

    Trabalho na Biblioteca a 24 anos, já juntamos vários documentos, testes e exames que comprovam insalubridade, e sempre dizem que aqui não é insalubre. PORQUE a Cultura (que também somos dela) seria insalubre?
    Pior aqui que estamos expostos a agentes nocivos a saúde respiratória do próprio local e também dos advindos dos inúmeros usuários que aqui desfrutam do espaço. Problemas visuais devido a natureza do exercício da função. etc.
    Também queremos nosso direito. Mais esse!

    Resposta
    • 16 de maio de 2019 em 21:37
      Permalink

      Fernando Diogo ………. Ahhhhhhh Fernando…. É vc ????? Kkkkkkkk

      Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

COMENTÁRIO SEM IDENTIFICAÇÃO DO FACEBOOK