Membros do SINTRAM e SINTEMMD levam puxão de orelha de Adair Otaviano e se revoltam; a verdade dói! Afirma vereador


Após a confusão que se estabeleceu na Câmara de Divinópolis, durante a sessão ordinária de ontem, quinta-feira (09), durante o pronunciamento do vereador Adair Otaviano, logo a seguir, o edil em entrevista ao Divinews, fez uma série de observações sobre a atuação dos dois sindicatos, que representam a categoria dos servidores públicos municipais de Divinópolis – De acordo com o vereador, os membros dos dois sindicatos se irritaram, por que não estão acostumados a ouvir a verdade, e o puxão de orelha que ele deu nas duas entidades sindicais fez com que eles tivessem reações exacerbadas no plenário – Ele afirmou que em seus 18 anos de mandato como vereador, sempre esteve ao lado da categoria, mas não seria omisso em ver a atual posição “politiqueira” da entidade e deixar de se manifestar – Pois, em sua opinião, foi inconcebível que uma reunião  convocada ainda no início da noite da última quarta-feira (08), por volta das 19 horas,  para discutir questões de suma relevância para os servidores, em que seria definido o reajuste integral para a categoria, em plena era da internet, das redes sociais e da comunicação instantânea, eles alegaram que não teriam tempo hábil para entrar em contato com os membros da Comissão que estavam à frente das negociações e que inclusive eram os autores do pedido de impeachment do prefeito Galileu, para estarem presentes no dia seguinte às 9 horas da Sede Administrativa. Adair, seguiu dizendo na entrevista ao Divinews, que isso demonstrou de forma cabal, que os sindicatos agiram e estão agindo politicamente, muito mais interessados em inviabilizar a cidade, com o impeachment de um prefeito que tanto fez pelo município, e a história mostra isso, do que de fato resolver temas importantes da categoria. 

O edil explicou também que, durante a reunião que ocorreu na Prefeitura, entre vários secretários e vereadores da base, disse que esteve à frente das negociações e chegou ao ponto de se indispor com seu partido, diante da insistência da Secretária da Fazenda, Suzana Xavier, em não querer conceder o reajuste integral devido para a categoria.

O vereador continuou dizendo que é impossível, até pela idade dos componentes dos dois sindicatos, que eles não tenham conhecimento do que de fato está acontecendo. Que Galileu pegou uma prefeitura com mais de R$ 50 milhões de restos a pagar, e logo a seguir veio o confisco do governador Fernando Pimentel, e para completar, já no primeiro mês de Governo, o Zema, que de novo não tem nada, reteve o mês de janeiro, deixando o município com um rombo total de 120 milhões de reais a menos no caixa para cumprir seus compromissos.

E que, alguns de forma desrespeitosa, aviltam um senhor de 86 anos, que se encontra enfermo, mas mesmo assim lutando para a cidade dar certo. Que seu histórico chega a superar a atuação de Antônio Martins, considerado também um dos melhores gestores que a cidade já teve.  Que o município de Divinópolis é o que é hoje pelas gestões anteriores de Galileu, através de suas pontes, ligou bairros e propiciou o crescimento da cidade. Entre outras diversas obras. E pergunta, o que os demais prefeitos fizeram de consistente pela cidade?

A lei do gatilho tem que ser cumprida, pois é Lei, foi feita pelo Demetrius, mas ele mesmo não pagou um único mês, pois foi aprovada em dezembro de 2008, porém, quem a cumpriu foi o prefeito seguinte.  Mas é  preciso pensar na cidade como um todo que tem outras necessidades. E é um equívoco também, pensando que dispensar os comissionados a situação financeira vai ser resolvida em um passe de mágica. Claro que precisa ser feito, mas o ponto central não é esse, é o buraco que os governadores provocaram.

Sobre o episódio que ocorreu na Câmara, durante a sessão ordinária, o edil afirmou lamentar que pessoas procedam da forma que procederam. “É sempre assim, quando os sindicatos querem que os atendamos, nos procuram e tentamos sempre resolver o problema da melhor forma possível. E eu sou um dos que mais se empenha neste sentido. Mas é só contrariá-los que eles esquecem tudo o que já foi feito e partem para cima da gente.  A Casa é sim do povo, mas precisa ter o mínimo de civilidade e diálogo. Falar, cobrar, mas também saber ouvir. Isso que é democracia”.

5 comentários em “Membros do SINTRAM e SINTEMMD levam puxão de orelha de Adair Otaviano e se revoltam; a verdade dói! Afirma vereador

  • 11 de maio de 2019 em 18:10
    Permalink

    ele, não e servidor, público, nao.

    Resposta
    • 13 de maio de 2019 em 20:24
      Permalink

      A rigor é sim, servidor público; prestou inclusive concurso público, com direito a diploma e tudo. Não podemos esquecer que formalmente as eleições nada mais são do que uma prova de títulos, leva quem tiver mais votos.

      Resposta
  • 11 de maio de 2019 em 09:23
    Permalink

    QUEM FALA A VERDADE DOI FALA O QUE PRECISA NA REALIDADE QUEM VAI PAGAR ESSE AUMENTO,E A RESPONSABILIDADE FISCAL MEU VOTO E SEU.

    Resposta
  • 10 de maio de 2019 em 21:39
    Permalink

    realmente a carreira politica do vereador Adair otaviano chegou ao fim ele que era cotado pelos servidores para ser prefeito lamentavel

    Resposta
  • 10 de maio de 2019 em 18:08
    Permalink

    este vereador ê um bananeira e puxa saco so Galileu. Ele esquece que é servidor. Sempre usou os servidores pra fazer política. Na greve do governo Wladimir ele estava lá tidos os dias. Candidatou a Dep . Estadual teve pouquíssimo voto. Acho este é seu último mandato. Seu puxa saco.

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

COMENTÁRIO SEM IDENTIFICAÇÃO DO FACEBOOK