Sete Organizações Sociais disputam administração da UPA Divinópolis


Como o contrato da Santa Casa de Misericórdia de Formiga, depois de cinco anos administrando a UPA de Divinópolis termina em setembro, a Prefeitura de Divinópolis já abriu o procedimento para substituí-la, já que ambas as partes não têm nenhum interesse em continuar.  E das onze Organizações Sociais que demonstraram interesses e apresentaram documentação para participarem do processo de qualificação para futura licitação, que tem como objetivo a gestão da Unidade de Pronto Atendimento Padre Roberto, sete foram classificadas, portanto, estão aptas a participarem da licitação, enquanto quatro foram desclassificadas.

As aprovadas foram, as Organização Social João Marchesi, de Penápolis, em São Paulo; IMEG – Instituto Médico de Gestão, de Salvador, na Bahia; IBDS – Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Social, de Belo Horizonte; Irmandade de Santa Casa de Misericórdia, de Birigui, em São Paulo; HMTJ – Instituto de Pesquisa e Gestão de Saúde, em Juiz de Fora;  INSAÚDE – Instituto Nacional de Pesquisa e Gestão de Saúde, de Bernardino de Jesus, em São Paulo e IBRAPP – Instituto Brasileiro de Políticas Públicas, de São Luís, no Maranhão.

As desclassificadas, foram o Instituto Humaniza, de Barretos, em São Paulo, por não ter apresentado documentos pendente no prazo legal previsto; Associação Organização Nacional de Combate ao Câncer, de Betim, em Minas, por ter sido fundada há menos de 2 anos; ISSRV – Instituto Social de Resgate a Vida, de Cotia, em São Paulo, desclassificada em consequência da certidão Imobiliária estar em nome de pessoa física; Instituto Moriah, em Sorocaba, São Paulo, também com problema na Certidão Imobiliária, que não estava em seu nome.

 

 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

COMENTÁRIO SEM IDENTIFICAÇÃO DO FACEBOOK