“Só não podem culpar vereadores que tentaram ajudar” disse Líder do Governo sobre pedidos de sindicatos para retirar “Segregação de Massas” de tramitação


SINTRAM e SINTEMMD pedem que líder do Governo Galileu retire Projeto de Segregação de Massas da pauta de votação da Câmara de Divinópolis – Os dois sindicatos que representam a categoria, o Sindicato dos Trabalhadores Municipais de Divinópolis e Região Centro-Oeste (SINTRAM),  e o Sindicato dos Trabalhadores da Educação Municipal do Município de Divinópolis (SINTEMMD), através de oficio conjunto,  endereçado ao vereador Eduardo Print Junior, Líder do Governo na Câmara solicitaram que ele leve ao conhecimento do Prefeito Galileu Machado o pleito dos  dois sindicatos, que representando a categoria, retirando definitivamente da tramitação na Câmara, o Projeto de Lei 01/2019 que trata sobre a Segregação de Massas do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos de Divinópolis – DIVIPREV

O ofício é assinado pelos dois representantes dos dois sindicatos, Wellington da Silva de Oliveira, vice-presidente do SINTRAM, e Rodrigo Rodrigues Ferreira, diretor do SINTEMMD. Que manifestaram total e inequívoca contrariedade com relação a tramitação do Projeto de autoria do Executivo, solicitando assim que o Legislativo o arquive em definitivo, por entenderem que o projeto compromete a apresentação de outras alternativas que possam contemplar as partes interessadas diretamente no tema.

Como uma das justificativas para rechaçar o projeto, o Sintram, lembrou que: “Em uma reunião no Gabinete do Prefeito em 27 de fevereiro, com a diretoria do sindicato, conforme consta em ata, o superintendente Aguinaldo Henrique Ferreira Lage manifestou “ser necessário de fato discutir mais o projeto a fim de se evitar consequências financeiras extremamente gravosas para o Poder Executivo, tendo em vista que calcula um impacto imediato com o aporte de R$ 41 milhões até o final do próximo ano, sendo R$ 17 milhões pontualmente e cerca de R$ 24 milhões no ano vindouro” – Dito isso, fica claro que a aprovação do referido projeto compromete sobremaneira as contas da administração de imediato., fato que justifica em si mesmo a necessidade de ampliação da discussão do tema e exige nova avaliação de um atuário par apresentar outras alternativas e proposta de segregação de massas”

O Divinews ouviu o líder do Governo Eduardo Print Junior, que afirmou que os vereadores da base já tinham encaminhado ofício ao Executivo, solicitando a retirada, porém estavam aguardando as manifestações oficiais dos dois sindicatos.

“Como Líder do Governo sei da importância da Segregação de Massas para o futuro do DIVIPREV, mas, se os sindicatos que representam a categoria não querem o projeto. Paciência! É aguardar e ver o futuro, só não podem culpar os vereadores que tentaram ajudar”, lamentou o vereador em consequência do entendimento dos sindicatos.

Print Junior seguiu afirmando que a sua decisão será encaminhar para o Prefeito os dois pedidos feitos pelos dois sindicatos, de retirada definitivo do projeto e marcar uma reunião com os dois sindicatos e com o Executivo, com a decisão final de retirar o projeto que está tramitando na Câmara e buscar o equilíbrio financeiro do Diviprev de outra forma.

 

2 comentários em ““Só não podem culpar vereadores que tentaram ajudar” disse Líder do Governo sobre pedidos de sindicatos para retirar “Segregação de Massas” de tramitação

  • 23 de março de 2019 em 09:58
    Permalink

    Deveriam acabar com os contratos e nomear os aprovados no concurso isso sim.
    São mais de 300 aprovados aguardando a nomeação.
    Lembrando que o financeiro do Diviprev em sua grande parte é composto por arrecadação de servidores efetivos (concursados).
    No entanto, nosso prefeito Galileu insiste em manter contratos o que acaba gerando grande falta de recursos para o Diviprev, tendo em vista que estes contratados são regidos pela CLT.

    Resposta
  • 22 de março de 2019 em 22:04
    Permalink

    os vereadores sao uns santos nao tem culpa de nada

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

COMENTÁRIO SEM IDENTIFICAÇÃO DO FACEBOOK