Secretaria de Saúde de Divinópolis diz que casos de meningite estão dentro do padrão


A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) apresentou ontem, quinta-feira (13), os dados sobre meningite no município. De acordo com o relatório, de janeiro a setembro foram confirmados sete casos da doença, número considerado regular do ponto de vista epidemiológico – De acordo com a diretora de Vigilância em Saúde, Janice Soares, os sete casos foram registrados ao longo dos nove meses do ano. “Nós tivemos sete casos ao longo do ano e isso já é esperado do ponto de vista epidemiológico. A meningite é uma doença endêmica, alguns casos já são esperados e o Ministério da Saúde implementou a vacinação contra a meningite justamente por ser endêmica”, afirma.

A vacinação pode prevenir algumas formas de meningite, segundo a diretora. “Nós temos uma cobertura deficiente e precisamos do apoio da população no sentido de melhorar nossa cobertura. É importante a conscientização das pessoas, que a vacinação é uma solução para a prevenção de alguns casos”, destacou a diretora.

Dos sete casos, três foram registrados no mês de agosto. “São casos esperados que estão dentro do padrão epidemiológico. Não é motivo para alarmar, no período de inverno ocorre mais incidência, por isso em agosto registramos três casos”, disse.

Os principais sintomas da meningite são: febre elevada e persistente, vômitos, rigidez da nuca, dor de cabeça intensa, delírio, convulsões, manchas vermelhas na pele (geralmente nas pernas), irritabilidade e confusão. “Em caso de sintomas a pessoa deve procurar os serviços de saúde o mais rápido possível para ter o tratamento correto”, reforçou a diretora.

Em 2017, a Semusa aplicou 8.230 doses de vacinação de Meningo C, sendo 2.306 em crianças menores de 1 ano, totalizando 84,19%; 2.204 em crianças de 1 ano a 4 anos 11 meses e 29 dias sendo 80,47%; 2.189 em adolescentes de 12 anos com 63,95%  e  1.531 nos adolescentes de 13 anos com 44,13% de cobertura.

 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.