CADÊ O DINHEIRO? Presidente do CMS denuncia desvio de R$ 2,5 milhões de reais repassados à Sta Casa de Formiga para investir na UPA Divinópolis


O Presidente do Conselho Municipal de Saúde de Divinópolis, Warlon Elias Carlos, ao usar a Tribuna Livre da Câmara de Divinópolis, na reunião ordinária desta última quinta-feira (03), denunciou que R$ 2,5 milhões de reais que foram repassados para a Santa Casa de Misericórdia de Formiga, que é a OS (Organização Social) que administra a Unidade de Pronto Atendimento de Divinópolis, segundo Warlon, simplesmente sumiram.  

O presidente contou ainda que, tramitam no Ministério Público de Minas Gerais três procedimentos, dois em Divinópolis e um em Formiga. Mas que o CMS prepara denúncia para ser feita também no Ministério Público Federal para saber onde foi parar o dinheiro e quando localizado retornem aos cofres públicos.

Outra irregularidade relatada por Warlon, quanto presidente do CMS, são as instalações inadequadas do Centro de Acolhimento aos Moradores de rua, junto ao Sersam (Serviço de Referência em Saúde Mental). Conforme Warlon, o centro deveria ficar provisoriamente no prédio, por apenas 120 dias, já está no local há três anos e meio.

Warlon conta que o Governo está usando a verba carimbada de R$ 60 mil da saúde para custear o Desenvolvimento Social.

“Até agora não estamos falando da vinculação da Casa de Acolhimento que está vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Social, ocupa um prédio veiculado a Secretaria de Saúde – As despesas do prédio do Sersam são custeadas com dinheiro da saúde. Mas a Casa de Acolhimento gera despesa de energia elétrica e água. Essa despesa ao longo dos três anos e meio, chega próximo a R$ 60 mil reais – A conduta de empregar verba pública com distinção diversa para qual é vinculada, constitui desvio de verba e improbidade administrativa aos olhos da Lei de Responsabilidade. São R$ 60 mil da saúde para custear o Desenvolvimento Social, e o desvio de finalidade é um crime, e o CMS que ver a verba pública para a saúde, aplicada na saúde”, Afirmou o presidente do CMS, que defende ainda que, o setor de acolhimento seja transferido para outra área, longe da área da saúde.

Outro assunto abordado pelo Tribuno, foram as diminuições de vagas do Tratamento Fora do Município, que caiu drasticamente de 100 vagas para 30. Warlon finalizou dizendo que há mais de um ano que o município não tem cumprido as determinações relativos a fármacos, ou seja, o conselho recebe constantes denúncias de falta de medicamentos, principalmente para os hipertensos.

Quando o Divinews questionou a Prefeitura quanto as denúncias feitas, a Diretoria de Comunicação enviou a seguinte nota: “A Secretaria Municipal de Saúde não se pronunciará sobre esse assunto, uma vez que a UPA Padre Roberto já está sob investigação – Os Ministérios Público da Saúde e do Patrimônio, além de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), investigam a unidade de saúde. A Semusa colabora com as investigações.”

ATUALIZAÇÃO: Warlon disse que vai se reunir com a comissão de prestação de contas e discutir o que mais ele deve expor sobre o caso.  E que também foi convidado juntamente com o vice presidente Marco Aurélio a participar de uma reunião com vereadores e com o Procurador do município. Disse acreditar que a gestão possa rever algumas situações e sanar alguns problemas relatados.

2 comentários em “CADÊ O DINHEIRO? Presidente do CMS denuncia desvio de R$ 2,5 milhões de reais repassados à Sta Casa de Formiga para investir na UPA Divinópolis

  • 7 de maio de 2018 em 14:55
    Permalink

    ta no bolso deles ,roubar verba da saude mesmo coisa de matar sem por as maos quantas pessoas ficarm sem atendimento por causa desse desvio ,chega gente vamos liutar vamos tirar esse ratos e colacalos empraça publica co o fazio no passado,nao aguneta mais basta

    Resposta
  • 4 de maio de 2018 em 12:32
    Permalink

    Cadê o ministério público federal, cadê os 02 deputados das antigas, e o Tolentino? Estão ocupados com que????

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.