QUEDA DE BRAÇO: Entidades querem que votação do IPTU seja adiada para 2018; Governo quer votar este ano; Edsom Sousa não quer votar


Após terem se reunidos com os vereadores na Câmara de Divinópolis, representantes das entidades de classes se reuniram nesta última segunda-feira (18), com o objetivo de conceder entrevista coletiva para comunicar que enviaram um oficio para o Legislativo na última sexta-feira (15), solicitando que os Projetos de Leis que trata do reajuste da planta genérica do IPTU, enviados pelo Executivo, sejam votados somente em abril de 2018, após criteriosa análise dos mesmos. Pois entendem que se for votado ainda neste ano trará grandes prejuízos para a cidade – Alexandra Galvão, Presidente da CDL, como porta voz, respondendo à pergunta,  se as entidades eram contra o reajuste, disse que não poderia dizer que são contra, por que precisam de tempo e dados para analisarem o projeto – A presidente do CDL afirmou ainda que a Prefeitura precisa ser mais transparente informando alguns dados, claro, salvaguardando o sigilo dos contribuintes, para que seja possível um melhor estudo sobre a necessidade do reajuste da planta genérica do IPTU.

As entidades querem saber onde existem pontualmente as distorções que o Executivo afirma existir, e em qual região, e há quanto tempo ocorre.

É questionado também o índice de inadimplência do IPTU, que atualmente é de 20%, entre o que é lançado, e o que é efetivamente recebido. Eles avaliam que se for aprovado a revisão da planta do IPTU, haverá também aumento nos percentuais de inadimplência que poderá passar dos 20%.

Eles querem saber também qual é o percentual de arrecadação do ITBI (Imposto de Transmissão de Bens Imóveis), que é um tributo municipal que deve ser pago na aquisição do imóvel. A oficialização do processo de compra e venda só pode ser feita após o pagamento de tal imposto.

Alexandra, diz que antes de aumentar as despesas é preciso diminuir os gastos com a máquina pública, para equilibrar as contas do município. Que o município precisar “apertar o cinto, para com pouco fazer muito”.

Porém, ao mesmo tempo em que a entidades enviaram oficio para o Legislativo, pedindo para os vereadores não votarem a revisão do IPTU neste ano, o Executivo, na manhã desta mesma última segunda (18), esteve reunido com um grupo de vereadores, construindo uma nova proposta, que deverá ser enviado com substitutivo para a Câmara, ainda nesta terça-feira (19), para se aprovado, passar a valer em 2018, para aumentar a arrecadação.

O Divinews entrevistou o vereador Marcos Vinicius, um dos edis que esteve na reunião com o Prefeito, na manhã desta última segunda (18). Ele afirmou que a proposta do Executivo é outra totalmente diferente da original. Disse ainda que antes da busca pela justiça fiscal, a preocupação maior é com a justiça social. Marcos diz que existe um novo consenso no governo de que é necessário reduzir as alíquotas. E que o imposto vai cair para muitos, menos para os que praticam a especulação imobiliária, que possuem centenas de terrenos.

O fato é que, fomentado pelo vereador Edsom Sousa (PMDB), que de líder do Governo, virou ferrenha oposição a este mesmo governo. Tanto é que, segundo informação de uma fonte, foi o próprio edil quem teria procurado as entidades e empresários para busca-las como aliadas, a não aprovação do IPTU, muitos dos vereadores confessaram para o Divinews, que mesmo cientes de que o projeto faz justiça social, e que os mais pobres não serão afetados, estão receosos de votarem contra a vontade das entidades e terem seus nomes publicizados inversamente, como supostamente terem votado contra o povo. Esse é o verdadeiro “X” da questão. E outros edis vão ainda mais longe, de que o vereador Edsom Sousa, quer na verdade é mostrar para o Prefeito Galileu, que ele não fez uma boa opção, ao apoiar o vereador Adair Otaviano como Presidente da Câmara, e piorou ainda mais quando o chefe do Executivo não lhe deu ouvidos, quando esse foi Líder do Governo, e não era atendido.

Edsom, já avisou na coletiva que tem informação de que o vereador Sargento Elton, deverá fazer um pedido de CPI para investigar a questão do reajuste da planta genérica do IPTU.

Um comentário em “QUEDA DE BRAÇO: Entidades querem que votação do IPTU seja adiada para 2018; Governo quer votar este ano; Edsom Sousa não quer votar

  • 20 de dezembro de 2017 em 16:26
    Permalink

    onde está o 13º dos servidores da prefeitura de Divinópolis

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.