Picolezeiro é agredido por ex-xiita, diretor da Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura de Divinópolis (Teodoro) com “gravata” que diz ser abraço ( Piada ! )


Seria cômico, não fosse trágico, a agressão que ocorreu na última semana, sendo mais preciso no dia 7 (quinta-feira), quando o agora diretor da Secretaria de Meio Ambiente Nilton Teodoro, um ex-xiita de carteirinha, que militava raivosamente contra o ex-prefeito Vladimir Azevedo e tudo que ele fizesse, se posicionando segundo seu discurso ao lado dos fracos e oprimidos. Porém ao assumir um cargo no governo de Galileu, esqueceu seu passado de pseudo socialista, tornou-se o verdadeiro capitalista que é, e investiu contra Lazaro Alves de Melo, de 56 anos, um simples “picolezeiro”, por que na versão de Teodoro, agora um feroz fiscal,  ele estaria vendendo reles três sombrinhas, que na verdade, na versão do camelô, não seria  para vender, era dele e da sua família – O fiscal exibiu os ferimentos causados pela agressão iniciada por uma gravata ou mata leão, tanto faz o nome, mas que os veículos convencionais de comunicação disseram que foi um “abraço” – Lazaro que chegou a ser preso e ficar em uma cela, está indignado com a situação que passou. E exige justiça – No momento em que o Divinews gravava um vídeo com o picolezeiro, o secretário do Meio Ambiente, Clever Greco, o Bezito, coincidentemente passava pelo local e foi perguntado o que achou da agressão, travestida de abraço.    

 

8 comentários em “Picolezeiro é agredido por ex-xiita, diretor da Secretaria de Meio Ambiente da Prefeitura de Divinópolis (Teodoro) com “gravata” que diz ser abraço ( Piada ! )

  • 16 de dezembro de 2017 em 18:46
    Permalink

    conheço Teodoro a anos, tanto do Clube da Prefeitura quanto das ruas.
    pessoa alegre, integra, solícita.
    amigo
    como outros me disseram, também acredito que isso não passa de armação contra ele.
    deve estar incomodando alguém
    cuidado Teodoro.

    Resposta
  • 15 de dezembro de 2017 em 18:04
    Permalink

    Que coincidência tudo isso acontecer e o Bezito aparecer em seguida???
    Acho que foi armação contra o diretor, porque enquanto militar Teodoro foi um ótimo servidor , sempre lutando pelo bem estar da sociedade como um todo.

    Resposta
  • 15 de dezembro de 2017 em 17:56
    Permalink

    Que coincidência tudo isso acontecer e no momento o Bezito aparecer???
    Pelo que conheço do Teodoro ele jamais faria isso, porque enquanto militar foi um exemplo de profissional. Acho que tudo isso foi armação do Bezito.

    Resposta
  • 14 de dezembro de 2017 em 12:19
    Permalink

    Conheço o Teodoro, é uma pessoa extremamente educada, calmo, ponderado, um exemplo como filho e pai de família dedicado. Como policial, foi um exemplo a ser seguido e atua dentro da licitude. Por mais que tenha vivido em meio a violência urbana, na proteção da sociedade contra bandidos, não se deixou dominar pelo poder que a farda oferece. Que eu saiba, nunca foi violento, claro que durante o cumprimento da profissão quando necessário em algum momento pode ter agido de forma truculenta.. Foi muito atuante na defesa do meio ambiente e das causas sociais, principalmente contra os desmandos dos 8 anos de gestão do ex-prefake Vladimir Azevedo. Quando foi indicado para diretor de meio ambiente, aconselhei o Teodoro a não aceitar o cargo, por que seria muito cobrado e criticado mais do que os outros que o antecederam, devido seu passado como ativista ambiental e social. É muito confortável para alguém que não tem vinculo de luta na defesa do meio ambiente, mas que se formou e se tornou um profissional da área ambiental, ocupar esta pasta. Para ser secretário ou diretor municipal de meio ambiente, não é exigido afinidade com a causa ambiental. No entanto, para o cargo de secretário é exigido apenas notório conhecimento. Neste caso, uma pessoa que não tem amor, não tem afinidade, apreso e que se dedica à questão ambiental meramente por questão profissional, pode assumir um destes cargos. O Teodoro tem amor e afinidade a causa ambiental, mas como falta para mim, para ele também falta o notório conhecimento que nada tem produzido de bom e efetivo para a natureza. O Teodoro assumiu o cargo que o prefeito Galileu lhe ofereceu e seguramente aceitou o desafio com a maior das boas intenções. Ocorre que nenhum funcionário da prefeitura, seja de carreira, por indicação, cargo de confiança, contratado ou concursado, do primeiro ou do segundo escalão tem autonomia de ação. Caso um agente público haja legal e autonomamente, contrariando o chefe, logo será exonerado ou afastado de suas funções para outras. As criticas contra o Teodoro são mais pesadas pelo seu passado, ao passo que não se cobra o mesmo de quem há anos, atua no meio ambiente, apenas para ganhar dinheiro, profissionalmente ou para cumprir a carga diária de 8 horas de trabalho e depois disso, que o meio ambiente que se ferre, não está nem ai. A que se pensar no estres que está sendo fiscalizar e coibir o comércio de ambulantes que dominou a rua Goias e a avenida Primeiro de Junho. Foi construído o camelodro, existem os shoppings do rumo e agora centenas de toureiros no comércio irregular ocupam os passeios. Vai ser fiscal para sentir na pele as dificuldades de se lhe dar com esta gente, alguns agressivos e irredutíveis. No momento de estres o Teodoro pode ter tido seus motivos que o levaram a agir (se agiu) de forma tempestiva. Mas é uma ótima pessoa que simplesmente nada contra a maré. No geral, ninguém quer nada com o meio ambiente, principalmente se vai afetar sua vida financeira ou profissional. Então pessoas como eu e o Teodoro ficam dando murros em pontas de facas. Sugiro uma matéria que aborde o tamanho da estrutura federal, estadual e municipal paga com o erário público e disponibilizada para a defesa do meio ambiente e a situação só faz piorar. Se esta estrutura funcionasse devidamente não haveria a necessidade das ongs e voluntários que expõem suas vidas pela causa.Tem muita gente falhando no cumprimento de suas atribuições, recebendo bons salários e toda estabilidade profissional, até se aposentar.

    Resposta
  • 14 de dezembro de 2017 em 07:09
    Permalink

    Nossa. Que matéria plantada. Qual o problema com o servidor em função? Estranho é a rapidez com a que o secretário chegou. Faça o seguinte: sugira extinguir a lei do ambulante que delimita locais e obrigatoriedade de licença daí volta todos pra rua. Seria um circo, um mercado persa. O povo gosta é de show mesmo. Enqto não acontecer uma tragédia com o cidadão ainda vai ter gente defendendo ambulante irregular e criticando trabalho de fiscalização. Comendo porcarias, comprando perfumes de fundo de quintal. Povo sem noção. Retrocesso.

    Resposta
  • 14 de dezembro de 2017 em 05:55
    Permalink

    Isto mostra como esta administração é e sempre foi a pior da historia de Divinópolis, nunca votei e nunca votaria em Galileu, nunca fez nada para nossa cidade e continua não fazendo. Muito mal assessorado, péssimo administrador e horrível comunicador. Não tem força política nenhuma, a cidade esta jogada as traças, está acabando aos poucos. Estas atitudes tomadas pelos seus acolhidos, mostra o descontrole de uma administração sem rumo. Infelizmente, serão mais quatro anos andando para trás.

    Resposta
  • 13 de dezembro de 2017 em 17:17
    Permalink

    divinopolis desde a epoca do aristide pra ca domingo savio pior de todos prefeitos que tivemos .so vem acabando desde quando kaiser e coco cola foi embora so vai acabando tudo aqui ,e uma cidade grande mais com porte de cidade pequenina,nao tem mais industria fundiçao siderugica acabou culpa desses das gestoes passada

    Resposta
  • 13 de dezembro de 2017 em 13:53
    Permalink

    Seja homem e publique os comentários!

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.