Presidente da Comissão de Saúde da Câmara de Vereadores de Divinópolis pede socorro na Assembleia Legislativa de Minas


O vereador-Presidente da Comissão de Saúde da Câmara Municipal de Divinópolis, Renato Ferreira (PSDB) esteve na tarde da última sexta (6) na Assembleia Legislativa de Minas (ALMG), em Belo Horizonte para pedir socorro aos deputados. Para isso protocolou dois ofícios sobre a situação da saúde no município.

Conforme o ofício nº158/2017 foi anexada toda a documentação referente à Unidade de Pronto Atendimento (UPA-Padre Roberto), Hospital Regional Divino Espírito Santo com relação a dívida do Estado para com o Município, além do quadro de cirurgias eletivas até a presente data.

Segundo o Vereador Renato o objetivo de protocolar este documento junto a Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa – presidida pelo Deputado Estadual Carlos Pimenta, e também protocolou cópia na Secretaria Estadual de Saúde e no Gabinete do Governador Fernando Pimentel na Cidade Administrativa. A iniciativa se faz necessária devido ao estado de calamidade que a saúde municipal se encontra. “Não podemos assistir esta situação e não fazer nada. Queremos que os gestores responsáveis encontrem o quanto antes o caminho, e a real garantia de vida para a população divinopolitana”, reforçou Renato.

O parlamentar ressaltou ainda que tem consciência da situação financeira do Estado, porém o setor da saúde é uma área que lida com vida diariamente, e não pode ficar sem os recursos necessários. O documento protocolado nos órgãos da capital mineira, tem assinatura e apoio dos Vereadores: Adair Otaviano (PMDB), Ademir Silva (PSD), Janete Aparecida (PSD), Cleitinho Azevedo (PPS), Nêgo do Buriti (PEN), Josafá Anderson (PPS), Dr. Delano Santiago (PMDB), Roger Viegas (PROS), Eduardo Print Jr (SDD), Raimundo Nonato (PDT), Sargento Elton (PEN), Zé Luiz da Farmácia (PMN), Edson Sousa (PMDB) e César Tarzan (PP).

ATRASO
Os repasses atrasados giram na ordem de R$ 10 milhões e de acordo com as informações, por causa do atraso o município não tem conseguido arcar com seus compromissos com a Santa Casa de Formiga, gestora da unidade de saúde e hoje salários de médicos e outros profissionais encontram-se atrasados há quase três meses. A situação ainda conta com o agravante de os materiais de trabalho da UPA estarem acabando e não existirem recursos para repor os estoques. Segundo as denúncias recebidas pelos Vereadores, estariam faltando insumos básicos como álcool gel, algodão, gaze e outros.

 

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.