CASO COPASA: Divinópolis sofre desabastecimento de água por míseros 200 / 300 mil reais (veja vídeo/entrevista)


A revelação bombástica caracterizando uma irresponsável gestão da empresa da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA), foi feita para os vereadores e a imprensa, no plenário da Câmara de Divinópolis, quando o superintendente, João Martins, revelou que o preço de cada bomba é de apenas,  aproximadamente R$ 100 mil reais, como é usado o conjunto de duas bombas, lógico que o valor passa para a ser de R$ 200 mil reais. O mais assustador é que diante deste irrisório valor para a empresa que anunciou um lucro superior a R$ 300 milhões de reais em 2016, é não ter não um conjunto de reserva, e sim uma única bomba pronta para entrar em funcionamento em caso de qualquer falha do conjunto que está em uso – Em entrevista para o Divinews, o superintendente explicou: “neste momento estamos adquirindo dois conjuntos, que são duas bombas. A nossa unidade de água bruta opera com dois equipamentos” – O Divinews para ser exato na questão do valor de cada bomba, já que o superintendente fez uma estimativa de cerca de R$ 100 mil reais, arredondou para R$ 150 mil reais cada bomba. Logo o conjunto teria o valor de R$ 300 mil reais, e o questionou por não existir um outro conjunto de reserva – João, então respondeu: “Para todas as nossas unidades, para a grande maioria delas trabalhamos com essa situação de ter equipamentos de reservas, mas especificamente para essa situação da captação de água bruta, estamos adquirindo um conjunto novo, diferente do que está em operação hoje. É um processo que estamos com ele no mercado para comprar há quase oito meses. Então estamos vencendo as etapas finais para ter condições de ter esses equipamentos. Infelizmente os equipamentos que nós tínhamos lá, chegou a uma condição, que não tinha como dar manutenção”.

Outro ponto negativo, entre vários apresentados pela Copasa, também foi a revelação de que a empresa possui apenas um carro pipa para atender toda cidade. Sobre isso, o superintendente respondeu: “Esse caminhão fica em Divinópolis mobilizado durante todo ano, para atender situações mais emergenciais, escolas, creches, hospitais. Para outras situações nós avaliamos e já aconteceu em outras oportunidades. Para situações em que a gente vai ter um período maior de desabastecimento que a gente entenda ser necessário a mobilização de outros caminhões, isso é feito. Nesse momento estamos trabalhando em uma situação, na nossa avaliação estamos trabalhando muito, para que isso aconteça já, ao longo do dia, e início da noite, o restabelecimento completo do abastecimento, para não ter necessidade de mobilizar outros caminhões pipa.

O Divinews quis saber do superintendente, quando efetivamente a questão do desabastecimento da água será resolvido de forma definitiva, através de gestão preventiva e não corretiva, de apagar incêndio. Veja a sua resposta: “Nós trabalhamos não com questão de sorte, obrigatoriamente temos que trabalhar com a técnica. O nosso dia a dia é pautado por decisões de ordem técnica. Trabalhamos sempre com essa visão. Infelizmente temos uma série de evento que aconteceram nos últimos dias e vieram a trazer essa situação adversa que estamos passando neste momento, e como eu disse, estamos trabalhando, nossas equipes estão todas mobilizadas para que hoje tenhamos o reestabelecimento total desta situação. Diferente disso, hoje na cidade de Divinópolis nós temos uma necessidade de melhoria do abastecimento, especialmente nos bairros R2, que abrange, Serra Verde, Nova Fortaleza, Anchieta, Rinaldo Campos – A Copasa, dentro do planejamento que foi estabelecido para 2017, nós teremos obras de ampliação e melhoria, teremos obras que foram licitadas hoje (14/09) de manhã. Já devemos ter nos próximos dias uma expectativa de início de obras para essa região, que vamos implantar uma infraestrutura que vai ter condições de trazer essa tranquilidade para a população e para a Copasa no seu dia a dia, de forma a manter a população abastecida, com tranquilidade, com qualidade e com quantidade”.

 

Um comentário em “CASO COPASA: Divinópolis sofre desabastecimento de água por míseros 200 / 300 mil reais (veja vídeo/entrevista)

  • 15 de setembro de 2017 em 21:54
    Permalink

    Copasa sendo Copasa !!!!! Incompetente ao extremo.

    Resposta

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.