Após infortúnio da população de Divinópolis, vereadores visitam COPASA para cobrar posicionamento


Nove vereadores da Câmara Municipal de Divinópolis estiveram na sede da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (COPASA) para participar de uma averiguação nos processos de tratamento e distribuição da água devido aos últimos ocorridos na cidade relacionados a falta de água que ocorreu na última semana em Divinópolis. Estiveram presentes na visita na última sexta-feira (01) os Vereadores: Renato Ferreira, Eduardo Print Jr, Nêgo do Buruti, Josafá Anderson, Marcos Vinícius, Raimundo Nonato, Janete Aparecida, Zé Luiz da Farmácia, Ademir Silva, e os assessores representando os edis Kaboja e Sargento Elton, além de um representante do Conselho de Saúde.

Nos dias 25, 26, e 27 a Copasa passou por adequação do processo de tratamento da Estação de Tratamento de Água (ETA) Itapecerica, vindo a suspender o abastecimento de água em 123 bairros da cidade. Em seguida quando foi normalizado o abastecimento, diversas foram as reclamações da população com relação à cor e mau cheiro da água que estava chegando nas residências. Por causa do grande número de reclamações da população nos gabinetes dos vereadores, foi solicitado pelos edis uma visita na Copasa para averiguar as condições de tratamento da água.

A visita foi guiada pelo gerente do distrito regional da Copasa em Divinópolis, Ronaldo Augusto Lírio, que explicou os processos de decantação e tratamento da água e controle de qualidade com a análise de seis parâmetros a cada duas horas nas estações do bairro Belvedere e também na Estação de Tratamento do Rio Pará, conforme estipulado pela Portaria 2.914, do ano de 2011.

De acordo com Ronaldo Lírio ao longo do ano a Vigilância Sanitária recebe essas análises da água e a própria vigilância escolhe os pontos e os dias nos quais serão feitas as análises para ter a prerrogativa de verificar cada ponto em toda a extensão de reabastecimento da cidade. Quanto a cor da água, Ronaldo Lírio explicou que está relacionado à turbidez das águas que chegam do Rio Itapecerica e que são acompanhados pelo Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) e pela Fundação Estadual de Meio Ambiente (Feam). “Nós averiguamos que a estiagem altera na cor e a turbidez da água do Rio Itapecerica que está com seus níveis muito baixos, e isso acabou alterando a dosagem das substâncias no nosso processo de tratamento da água. Isso só ocorreu por causa da diminuição de chuvas que alterou a qualidade da água do Itapecerica, porém conforme as análises não havia indícios de cloro e nem clorofórmios fecais em nenhum dos pontos”, informou o gerente do distrito regional.

Na oportunidade, Ronaldo apresentou os tanques onde chegam a água do Rio Itapecerica e onde é realizado o processo de floculação, que é um dos tratamentos da água. Ao longo do percurso o Vereador Marcos Vinícius questionou a respeito da Copasa investigar junto dos órgãos do Igam, Feam e Supram sobre a causa do problema, e perguntou ainda se mais alguma cidade da região não foi afetada pelo mesmo evento. Ronaldo Lírio respondeu ao parlamentar que a cor e turbidez da água alteraram o processo de floculação da Copasa. Quem também questionou o gerente do distrito foi o Vereador Eduardo Print Jr sobre o acompanhamento do manancial, se é feito pela Copasa, e Ronaldo o informou que esta análise e monitoramento do manancial são feitos periodicamente conforme estipulado na Portaria nº 2.914.

Já a Vereadora Janete Aparecida, solicitou do gerente da empresa que a companhia ressarça os divinopolitanos pelos danos causados no último final de semana, com a água fornecida pela Copasa. E aproveitou para pedir que a companhia conceda 50% de desconto nas contas de água do próximo mês, como forma de indenização aos consumidores. “A água era imprópria para consumo e muita gente teve que comprar água mineral, tiveram que trocar as velas dos filtros, porque eles não puderam ser reutilizados, sem falar nas caixas d’água, que ficaram sujas e precisaram ser lavadas. O desconto de 50% seria uma indenização da empresa aos divinopolitanos”, argumenta. Sobre a solicitação, Ronaldo Lírio pediu que Janete faça o pedido por meio de ofício, para que a empresa analise a possibilidade de conceder o desconto nas contas de água do próximo mês.

A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) também informou que foi aberto um processo administrativo sanitário sobre a alteração da água fornecida pela Copasa. De acordo com a Vigilância Sanitária, a estatal mineira cometeu infração, e a multa pode chegar a até R$ 17,9 mil. E a coleta de água realizada na segunda-feira (28/08), após a Copasa ter sanado o problema ocorrido no fim de semana, constatou-se, então, que a água estava dentro do parâmetro de potabilidade definido pela Portaria 2.914, de 2011.

ETE ITAPECERICA

Sobre os prazos para a entrega da Estação de Tratamento de Esgoto – (ETE Itapecerica) o gerente da companhia voltou a afirmar que a ETE será entregue no prazo estabelecido, que é agosto de 2018, uma vez que a empresa responsável pelas obras já foi licitada. E segundo informações a empresa contratada é uma grande empresa e executará toda a obra da Estação de Tratamento de Esgoto em um ano. Por fim, os edis solicitaram um documento da empresa atestando que a obra será entregue no prazo determinado pela Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e de Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (ARSAE) em agosto do ano passado.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.