Príncipe do Japão é recebido com festa em Belo Horizonte


O governador Aécio Neves recebeu, nesta segunda-feira (23), no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, o príncipe herdeiro do trono do Japão, Naruhito, que está no Brasil para as comemorações do centenário da imigração japonesa. Ao discursar, antes do almoço oferecido em homenagem ao príncipe, o governador destacou a forte presença da cultura e da economia japonesa em Minas Gerais.

 
O PRÍNCIPE EM MINAS  
Fotos: Wellington Pedro  
   
O príncipe foi recebido pelo governador Aécio Neves  
“Em todos os campos, a presença de japoneses e seus descendentes em Minas tem sido destacada e expressiva. Na siderurgia, na indústria da celulose, na produção de alimentos e nas universidades. Nos últimos quatro anos, nossas exportações para o Japão expandiram 79,3%, acima da média nacional. Em 2007, Minas foi o 2º principal estado nas exportações e o 5º nas importações do Japão”, disse Aécio Neves.
 
O governador também relembrou sua visita oficial ao Japão, em setembro de 2004, quando participou de encontros com empresários e ministros japoneses. Ele destacou as particularidades das culturas japonesa e mineira.
 
“Vi como o seu povo é capaz de usar o dinamismo da razão sem prejuízo da emoção diante do belo, do eterno, do imanente. Ouso dizer que assim também somos, os mineiros. Cultivamos o trabalho como valor essencial do nosso crescimento como sociedade. Mas o fazer sem perder, um só instante, as importantes referências que moldaram nosso caráter e forjaram nossa identidade, que é regional, mas essencialmente brasileira”, afirmou Aécio Neves.
 
RECEPÇÃO – Acompanhado de uma comitiva de aproximadamente 50 pessoas, o príncipe chegou ao Palácio da Liberdade às 11h30 e foi recebido pelo governador ao pé da escadaria da entrada principal, com honras militares prestadas pelos Dragões da Independência. Mais de 200 pessoas da comunidade japonesa em Minas saudaram o príncipe. Aécio Neves e o príncipe foram até a sacada do Palácio da Liberdade e cumprimentaram os que estavam nos jardins.
 
Antes do almoço, Naruhito e Aécio Neves participaram de uma reunião com empresários mineiros e japoneses, além de representantes da área econômica do Brasil e Japão. Em seu discurso, o príncipe destacou as relações entre Minas Gerais e Japão, especialmente através das empresas japonesas instaladas no Estado.
 
“Sinto-me muito feliz pelo fato de que os projetos de cooperação entre Japão e Brasil na área econômica estão tendo grande sucesso, destacando-se o projeto de desenvolvimento agrícola do Cerrado, a indústria siderúrgica da Usiminas e da produção de papel da Cenibra”, disse Naruhito.
 
ALMOÇO – Após a reunião com os empresários, o governador e o príncipe almoçaram no Salão de Banquetes, com outros 52 convidados como o vice-governador, Antonio Anastasia, o prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel, o presidente do Conselho de Administração da Usiminas e coordenador do Grupo Estratégico de Fomento de Minas Gerais, Wilson Brumer, o embaixador do Japão no Brasil, Ken Shimanouchi, o cônsul-geral honorário do Japão em Belo Horizonte, Rinaldo Campos Soares.
 
Entre os empresários presentes, estavam o consultor especial da Vale do Rio Doce, Eliezer Batista da Silva; o presidente da Cenibra, Fernando Fonseca; o presidente da Usiminas, Marco Antônio Castelo Branco; o presidente da Nippon Steel Empreendimentos Siderúrgicos do Brasil, Toshimi Sugiyama; o presidente da Toyota do Brasil, Shozo Hasebe e o representante-chefe do Japan Bank for International Cooperation (JBIC), Taketoshi Aikawa.
 
Acompanhado pelo governador e o prefeito de Belo Horizonte, o príncipe do Japão visitou, no início da tarde, o Jardim Japonês, inaugurado no último dia 16, na Fundação Zôo-Botânica, na Pampulha, em homenagem aos 100 anos da imigração japonesa. De lá, Naruhito e sua comitiva seguiram para o Aeroporto da Pampulha, onde embarcaram com destino ao Rio de Janeiro, última escala do príncipe no Brasil.
 
Belo Horizonte foi a quarta cidade do Brasil visitada pelo príncipe. No Brasil desde a última quarta-feira (18), Naruhito já esteve em Brasília, São Paulo e Curitiba.
 
JAPÃO E MINAS – Os primeiros imigrantes japoneses chegaram em Minas Gerais em meados da década de 20. Os japoneses tiveram grande contribuição na agricultura e, algumas décadas depois, também nos setores industrial, de serviços e na mineração. Em 1958, foram iniciadas as obras de instalação da Usiminas, controlada pelo grupo japonês Nippon.
 
Minas Gerais acolhe hoje uma comunidade de aproximadamente 10 mil japoneses, pessoas que atuam nas mais diversas áreas da economia. Além disso, o Estado abriga importantes empresas de capital japonês, como a Cenibra, CBMM, Grupo Vallourec, Daido Química, Sankyu, entre outras.
 
As relações entre o Japão e Minas Gerais se expressam também em atividades de natureza social e cultural. Minas mantém um Acordo de Províncias-Irmãs com a Província de Yamanashi. O acordo de 1973, de responsabilidade da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, é o mais antigo relacionamento internacional mantido pelo Estado e engloba áreas de interesse mútuo como energia elétrica, indústria agro-alimentícia, meio ambiente, indústria mineradora, informática, treinamento profissional e indústria manufatureira.

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado.

COMENTÁRIO SEM IDENTIFICAÇÃO DO FACEBOOK